Quem somos

27 de fev de 2009

Vamos nos permitir




Eu vejo a vida melhor no futuro
Eu vejo isso por cima do muro
De hipocrisia que insiste em nos rodear
Eu vejo a vida mais farta e clara
Repleta de toda a satisfação
Que se tem direito
Do firmamento ao chão
Eu quero crer no amor numa boa
E que isso valha prá qualquer pessoa
Que realizar a força que tem uma paixão
Eu vejo um novo começo de era
De gente fina, elegante e sincera
Com habilidade pra dizer mais sim do que não
Hoje o tempo voa amor
Escorre pelas mãos
Mesmo sem se sentir
E não há tempo que volte amor
Vamos viver tudo o que há prá viver
Vamos nos permitir
Tempos Modernos
Lulu Santos

Patricinha de Beverly Hills & The Californian Rock in Roll Girl

Saímos para uma reunião sobre a viagem... domingo a tarde, verão, Lagoa bombando - Café Cultura para não perder o hábito. O garçon chega na mesa...
Marza (me perguntando): Uma cerveja?
Kaká: Será??
Marza: Por que não?
Garçon: Ok, duas cervejas...
E a Marza me tira da bolsa esta foto... outubro de 2001, Red Devil Lounge - San Francisco, CA.

Que beleza é a sua natureza...


By Marza Tozo

Uh! Uh! Uh! Que Beleza!
Que beleza é sentir a natureza
Ter certeza pr'onde vai
E de onde vem
Que beleza é vir da pureza
E sem medo distinguir o mal e o bem...
Uh! Uh! Uh! Que Beleza!
Que beleza é saber seu nome
Sua origem, seu passado e seu futuro
Que beleza é conhecer o desencanto
E ver tudo bem mais claro no escuro...
Uh! Uh! Uh! Que Beleza!
Abra a porta e vá entrando
Felicidade vai brilhar no mundo...

Imunição Racional
Tim Maia

Época de carnaval, todo aquele agito - Floripa estava em clima de guerra. E Eu?? The same old thing... madrugando para praticar, treinar, ficar na praia e curtir o fim de tarde.
Apesar de cruzar pessoas o tempo inteiro, a grande maioria do tempo fiquei comigo mesma... adoro isso... ficar quietinha me divertindo com minha criativa produção mental.
Tenho que reconhecer que a capacidade de criação da mente é mesmo incrível - sou capaz de deixar os pensamentos rolarem só para ver até onde vão... sem limites, não para... me peguei até com a bochecha vermelha de vergonha do que eu estava pensando, pode??
Depois de 5 dias de feriado, fiquei me perguntando se todos as pessoas conhecem o valor de sua própria compania. Como é incrível saber que não estamos sozinhos nunca, e a delíciosa sensação de se observar, reconhecer o que podemos e aceitar aquilo que não podemos mudar em nós mesmos.
Claro que amo meus amigos, me divirto com as pessoas ao redor.. mas acima de tudo reconheço a importância de um momento mais introspectivo... segundo Tim Maia, saber seu nome, sua origem, seu passado e seu futuro!!!

25 de fev de 2009

Será que está tudo bem??

Fui passar as fotos da formatura do meu irmão para o computador e encontrei essa... fiquei tanto tempo observando e me perguntando o que estava acontecendo naquele exato momento: saco de bandaid, lata de cerveja, jogo americano no chão, um único sapato alto ( da Marza eu acho), bolsa, Yasmim se torcendo de ri no puff, reflexo das pernas da mãe no espelho, a postura da Yoguí de costas, mochila, frasqueira... e tantos outros detalhes... lembrei que a Marza estava sentada do outro lado como nerd em frente ao computador... um único clique e tanta coisa para ver, sentir e analisar - o valor da imagem.

Tempo de transformação


Uma das deidades mais conhecidas do hinduísmo, Shiva, o Destruidor é o terceiro membro da trindade hindu, juntamente com Brahma, o Criador, e Vishnu, o Preservador.
Dentro da tradição, Shiva destrói para construir algo novo, assim, prefiro chamá-lo de “transformador”. A criação do Yoga é atribuída a ele, por ser uma prática que produz transformação física, mental e emocional, nada mais coerente do que esta íntima ligação.

Na transição da lua minguante para a nova do mês de fevereiro é feito o Mahashivaratri, ritual para celebrar Shiva, onde seus devotos fazem preces potencializando a transformação da ignorância em sabedoria; escuridão em luz.
Com uma mente mais clara e sábia, podemos compreender a natureza do nosso ser... tornando assim nossa existência mais leve e fluída.

OM NAMAH SHIVAYA

19 de fev de 2009

Você se acha especial?





There are so many special people in the world...

Tempo atrás uma amiga veio com umas histórias de que abriu a cabeça e consegue ver algo interessante em todo mundo... todos aqueles caras esquisitos que passam na rua, as pessoas aparentemente mais chatas e por ela tudo bem.
Relaxa Kaká, todo mundo é atraente de alguma forma... você só precisa abrir os olhos para ver.
Que desafio!! Logo eu, cheia de frescura, brigando com meus preconceitos, egoísta querendo não dividir o meu tempo e feliz sozinha – usando a tradicional desculpa antes só do que mal acompanhada.
Dizem que agente só absorve o conhecimento quando está pronta para ele... bom, acho que agora estou. Entendo o que ela queria me dizer.

Todos são especiais, cada um do seu jeitinho, a graça está na diversidade.

Fiquei sentada sozinha na praia observando as pessoas passarem e definitivamente deu para perceber que existem muitas e muitas pessoas especiais no mundo... só precisamos libertar os julgamentos e padrões para perceber.
Entretanto, tem uma detalhe que ela não me falou... além de abrir a cabeça para encontrar tais valores nos outros, é importante que você encontre dentro de si mesmo... Solte seu talento, sinta-se especial para você e então para o mundo... sem esperar nada em troca, libere as expectativas e faça seu papel, be free!!!

Dos 20 aos 30


Mais um daqueles momentos em que sentamos e conversamos sobre a vida... a Marza me diz:
- Tens noção que é mais um sonho se realizando rápido demais... faltam só dois meses, passa voando, fico emocionada só de pensar que vou voltar em San Francisco novamente.
É sem dúvida uma realização...

Eu e a Marza nos conhecemos no Peixoto, na época do colegial - ela CDF com cara de santa e eu a doidona da classe, não éramos amigas, mas tínhamos uma certa simpatia uma com a outra (pelo menos sempre ganhava cola da Marza).
Enfim, fomos nos reencontrar na faculdade Univali, cursando por coincidência do destino Turismo e Hotelaria... dai em diante não deu mais certo.
Balada todo dia, aquela adrenalina para começar o semestre e ver os calouros que iam chegar; feriados interminavéis em Garopaba; aquelas baladas trashs do centrinho da lagoa: Rock Point; Dazaranha; Ilha do Cascaes... e o que viesse...
Total fase de descobertas... mas sempre com um vazio no peito... até que vislumbramos o 'sonho de Califórnia'. Ficamos imaginando a possibilidade de morar por lá algum tempo... e de repente eu já tinha a vida dos meus sonhos em San Francisco.

Por Lord Shiva, 20 aninhos, uma menina... lá desenvolvi minha personalidade, aprendi que a vida era feita de escolhas e eu podia sim inventar e reinventar qualquer coisa a qualquer momento... foram dois anos de perfeita alegria e sempre muita emoção... tudo era novo, diferente, bonito e interessante.
Infelizmente, por um padrão único e exclusivo da nossa alienada sociedade voltei para terminar a faculdade - a Marza retornaria com o mesmo objetivo dois anos depois.

Aih que merda, passei um ano enfiada dentro de casa, sem identificação alguma com o lugar e tudo que estava ligado a ele... nessa época comecei a fazer Yoga, e através da prática fui ampliando minhas percepções e entendi que estar bem não depende de lugar algum, é meramente uma resolução - Você tem a opção de estar ou não estar bem: take one, make your choice!!
Enfim, optei por fazer coisas diferentes e ser feliz por aqui mesmo... virei atleta de aventura, depois triatleta, fiz pós graduação e 'quase quis ser intelectual', fiz algumas outras viagens, aprendi a falar francês, tive um namoro sério, sai na escola de samba, virei professora de Yoga, e a lista é grande... mas enfim, a possibilidade de retornar era alimentada todos os dias, e quando encontrava a Marza a palavra San Francisco era inevitávelmente citada.

O tempo passa mesmo, e que bom!! Vou fazer 30 anos, e San Francisco é sem dúvida o lugar ideal para virar este ciclo... quase 10 anos depois, estamos voltando...
Posso sentir a vibração da cidade antes mesmo de chegar!!! Sinto que já estou comemorando o aniversário desde que compramos a passagem, cada dia é um novo dia e na contagem regressiva do embarque é menos um dia.

O que você faria?

Meu amor
O que você faria
se só te restasse um dia?
Se o mundo fosse acabar
Me diz o que você faria
Ia manter sua agenda
De almoço, hora, apatia
Ou esperar os seus amigos
Na sua sala vazia
Meu amor
O que você faria se só te restasse um dia?
Se o mundo fosse acabar
Me diz o que você faria
Corria prum shopping center
Ou para uma academia
Pra se esquecer que não dá tempo
Pro tempo que já se perdia
Meu amor
O que você faria se só te restasse esse dia
Andava pelado na chuva
Corria no meio da rua
Entrava de roupa no mar
Trepava sem camisinha
Meu amor
O que você faria?
Abria a porta do hospício
Trancava a da delegacia
Dinamitava o meu carro
Parava o tráfego e ria
O Último Dia
Paulinho Moska e Billy Brandão
O que você realmente faria??? Pense nisso...
Então faça, agente nunca sabe quando será o último dia!!

18 de fev de 2009

Born to be wild

Get your motor running
Head out on the highway
Lookin' for adventure
In whatever comes our way
Yeah, darlin', gonna make it happen
Take the world in a love embrace...
Like a true nature's child
We were born, born to be wild
Hoje tem Rock in Roll... e agora ir ou não ir? Quem decide?
Minha geminiana santinha quer dormir cedo, acordar ao amanhacer para praticar, dar aula bem e pedalar com energia...
Mas meu lado 'profano' cheio de idéias malucas fica me dando desculpas: vai lá, descansa um dia, curte a balada... você não vai morrer por isso, é só uma jam session e além do mais, não precisa varrer o salão, volta mais cedo...
Como a santinha ganha 'quase' sempre, hoje decidi descondicionar e
Let's Rock Baby!!!!
Afinal, parece o momento ideal para comemorar nossa viagem para California... de San Fran a LA... entre os paralelos Vipassana e muito prática.
foto: Daniel Carrara

Finding myself in those sun filled trees


Dia desses saímos para um café... e mesmo tomando moccachino com bolo de cenoura e cobertura de chocolate, nossa conversa era a típica filosofia de bêbado de bar:
- Mas como faremos para administrar a nossa loucura??
Cada uma com seu conflito particular e bem específico, uma aprendendo e ajudando a outra... aquelas ideias que não saem da cabeça e o Universo conspirando cada vez mais. Fiquei me perguntando...
Será que meu pensamento está assim tão forte a ponto de acontecer tudo que eu penso?? Ou será que encontrei de verdade meu caminho, me conectei internamente e a vida está fluindo? Por que será que as barrerias se impõem e eu tiro de letra sem grandes preocupações? E como fica aquela velha história de querer saber o porquê de tudo o tempo todo?

... ufa, decidi relaxar e deixar as coisas acontecerem do jeitinho que estão acontecendo, passo a passo, tudo no seu momento, o tempo trás as respostas quando eu estiver preparada para elas – a prática constante de paciência.

Me observando nos últimos dias, percebi que a loucura é muito mais a sensação do que ela propriamente dita, está na busca do desconhecido, o que aliás deveria ser o mais conhecido de todos: EU MESMA.
Fiquei pensando se este é o tempo de descoberta ou da construção, se saio para descobrir o mundo e acalmar este coração que não quer parar ou fico para construir uma estabilidade profissional...
Alguma sugestão? Donovam Frankenreiter tem uma boa:

Big blue ocean to the right of me
Mountain peaks to the left
Open road in front of me
And a past behind me that i left
but i can't go back
it won't do any good Gotta live my life the way i said i would
I'm gonna find myself In those sun filled trees
Gonna live my life on every ocean's breeze
Cuz it's the only thing i know to do
It's the one thing in my life that keeps me true

À direita o oceano azul / À esquerda o pico das montanhas / A estrada aberta em frente / E tudo que passou eu deixei para trás / Agora já não posso mais voltar / Vou viver a minha vida do jeito que eu falei que iria / Vou me encontrar onde o sol preenche as árvores / Vou viver minha vida onde estiver a brisa do mar / Por que esta é a única coisa que eu sei fazer / Esta é a única coisa que me mantém verdadeiro na vida.


Foto By Daniel Carrara

16 de fev de 2009

obscenity


Estava eu curtindo com meus amigos uma tarde no parque. Era algum parque de algum país estrangeiro, que mistura coisas da Europa com coisas dos EUA, mas que pelos acontecimentos não poderia ser outro lugar além da terra do Seu Obama. Estava divertido, nós tínhamos vindo de algum outro lugar da cidade e falávamos português e inglês, dávamos boas risadas, resumindo - livres e felizes...Até que chega o momento que resolvo matar minha fome com uma deliciosa banana. O que haveria de mal nisso? A princípio nada, além de saborear um fruto da natureza para repor minhas energias gastas com as risadas. Isso era o que eu pensava...quando fui abordada por policiais. Eu não entendia nada ou não queria entender, mas eu não poderia estar comendo uma banana em público. "Mas meus amigos também morderam a banana!!" Mas eu era a "dona" da banana e seria presa por isso. Eu estava perplexa, em estado de choque, como assim?? A banana está em falta no mundo?? Poderia ser também mais uma nóia dos "humanos, demasiadamente humanos"?? Bom eu tinha a chance de pegar o primeiro avião de volta para casa e esquecer toda aquela história de banana proibida, mas eu fui me apresentar na delegacia, e tentar entender aquela nova regra social absurda. Chegando lá, tinha um tipo de assistente social esperando por mim e eu comecei a argumentar firmemente aquele crime que me renderia 10 dias de prisão. Chorei, fiz escândalo, briguei, enfrentei, discuti...só queria me livrar daqueles 10 dias de prisão e poder curtir o resto da minha viagem. Mas para minha surpresa ouvi a palavra obsceno...oh my God...comer bananas em público seria obsceno...um atentado ao pudor...que sociedade é essa?? Uma pessoa vai presa por comer bananas em público!! Ah se eles assistissem televisão brasileira, entenderiam melhor de obscenidade...Enfim, não adiantou meus argumentos, e tive que ficar presa num quarto muito legal por sinal!!

Essa é a melhor maneira de se acordar rindo...ser presa por comer banana em público é algo realmente bizarro...imagina como não está a mente dessa menina...nesses dias arrumo papelada de visto, recebo a resposta positiva do meu próximo Vipassana, entro no Facebook e encontro vários amigos, assisto filmes em inglês e minha mente processa tudo com uma bela história de uma comédia dramática...trabalha mente, trabalha...

11 de fev de 2009

Feel that freedom


"If you never have a go, you will never know"

Malina, nossa correspondente direta em Bangkok mandou esta mensagem acima pelo msn.

Eu estava escondidinha com meu perfil offline e de repente ela me vem com essa "se você não for nunca conhecerá, se não fizer jamais saberá".

Não dá mesmo para assistir a vida passar no quadrado da janela, se lamentar e pensar no que poderia ter sido se, e se, e se... vivendo no mundo de ilusão.

Mas sair fazendo um 'monte de merda' é pior ainda... onde está o equilíbrio?? E aquela resposta na hora que você mais precisa?

Está nas ações conscientes, no estar atento a todo momento... sabe aquela historinha batida nas aulinhas de Yoga "mantenha a mente presente". É isso, estar com a consciência alerta nos traz uma sensação de paz, e facilmente conseguimos tomar as decisões certas na hora certa.

O difícil é conseguir manter este estado de presença sempre... ai muito Yoga nessa vida!!

"If we feel that freedom and peace is the most important thing, we have to choose not to allow ourselves to sink into states of confusion and anger" (A Jagaro, mas veio da Malina também).

Om Shántih Shántih Shántihi

Já fez o seu manual?

Então prepara para jogá-lo fora!!
Estava lendo um artigo sobre ter um manual específico de como agir em determinadas circunstâncias, ou para algumas pessoas, de como agir o tempo inteiro.
Vivendo numa sociedade de padrões cada vez mais estereotipada, onde o homem para ser charmoso e atraente tem que ser fortão com aqueles músculos arredondados bancando o “eu como todas e sou demais”. E a mulher com silicone bombando, pele bronzeada e corpinho escultural “no maior estilo BBB que quer mais sair na playboy que ganhar o prêmio no programa”, são as pessoas que ditam as regras.
Com toda essa pressão começamos a adotar o sistema de manuais:
Manual da conquista - o que falar se o cara te ligar, e se ele não ligar, você liga?
Manual da sedução – qual o decote ideal para cada situação;
Manual de beleza – corte de cabelo, modelito fashion e os blablablá das globais;
Manual do natureba – cuidado, farinha e açúcar branco vão te matar!!
Manual do nerd – o tipo de scrap do Orkut; mural do facebook; mensagem pessoal do MSN...
Manual do Yogue – OOOMMMMMMMMM
Pera aí, onde está o mais importante?? O manual da originalidade.
Parece que ser original e agir com naturalidade dá muito trabalho, sei lá, acho que as pessoas ficam com preguiça e acabam usando o pensamento, a idéia e ação dos outros.
O charme, o talento e a conquista, a gentileza e acima de tudo a beleza são mais simples que imaginamos... a insana mania que temos de complicar as coisas... será que é tão difícil assim ser e aceitar quem você é o tempo todo??

San Francisco de novo sim, e por que não? Sem regras, abaixo ao tabu de visitar o mundo inteiro e não conhecer lugar nenhum.

Na virada de 2008, fizemos uma festa aqui em casa... o tema era algo mais ou menos assim:
Sinta o cheiro das flores, conquiste alguém especial, faça uma trilha, cultive um cacto, pratique esportes, aprenda canto, violão, escreva um livro, ouça mais músicas, dedique um poema a alguém, olhe a paisagem, coma chocolates, assista a lua, assista a um filme, diga 'eu te amo', tenha muitos amigos, vá para balada, vá ao teatro e museu. Saia para caminhar, ande de patins no parque, estude filosofia, faça Yoga, fuja da terapia, descubra o que você quer e quem você realmente é. Planeje uma viagem, faça uma viagem, encare seus desafios, ultrapasse seus medos, aprenda a perdoar, divirta-se na tristeza, abra um champagne no café da manhã de domingo, abra a janela, abra um sorriso, abra o coração, abra a mente... abra-se para o universo!!!
E por favor rasgue os manuais, seja você mesmo sempre – sem regras.

6 de fev de 2009

Passagem comprada!!


"It is an odd thing, but every one who disappears is said to be seen at San Francisco. It must be a delightful city, and possess all the attractions of the next world." - Oscar Wilde

"É uma coisa estranha, mas cada um que desaparece é dito ser visto em San Francisco. Deve ser uma cidade maravilhosa, e possui todas as atrações do próximo mundo."

Não só pretendemos desaparecer por lá como nos reencontrar nesse destino depois de quase 10 anos da primeira visita!! Afinal de contas, foi lá que nos tornamos "gente grande" e decobrimos muitas coisas sobre nós mesmas. Sempre nos perguntamos o que seria de nós se nunca tivéssemos vivido tudo aquilo em San Francisco...é um destino muito profano, pode ter certeza...mas quem disse que não podemos nos descobrir nos prazeres também?? Mas nada como 10 dias de silêncio e muita prática de Ashtanga no corpinho pra equilibrar tudo!!!

4 de fev de 2009

My bed is on fire...


Relógio despertou às 04:30 da manhã, quis jogar ele longe... demorei para dormir, mente não parava, idéias e mais idéias circulando de um lado para outro na minha cabeça...
Lembrei da clássica Psycho Killer dos Talking Heads:
I can’t sleep cause my bed is on fire
Don’t touch me I’m a real live wire
Tá certo que sou a própria geminiana e para agravar a dualidade tenho lua também no signo de gêmeos... muitas vezes acho que posso ser 2, 3, 4 – tudo ao mesmo tempo – fico atirando para todos os lados e espero para ver qual deles vou acertar.

A cada tiroteio aumento o alvo, tentando acertar coisas mais desafiadoras:
1. Meio Ironman em Março – Caiobá, PR.
2. Intensivo com Manju Jois em Abril – Floripa, SC.
3. Colocar o CD da Deborah Crooks na programação da Itapema FM.
4. Participar de um workshop do Sharath Rangaswami.
5. Fazer 30 anos na Califórnia.
6. Conseguir juntar grana para o item 4 e 5.

Tudo isso no primeiro semestre deste ano!!
Bom, fora a energia que estou colocando nas aulas... algumas sérias decisões sobre novas turmas e lugares, contratos, porcentagens, grade de horários e aquelas coisas de gente grande que trabalha fora.
E tudo que eu ainda queria fazer, tipo voltar a estudar música, francês, melhorar o inglês, aulas de sânscrito, rever e fazer mais amigos, andar de caiaque, aprender a surfar... Me consola saber que vou nascer de novo, assim quem sabe consigo fazer tudo isso.

Para agravar ainda mais a lista decido escrever um livro...
Socorro!! Acho que já comentei anteriormente que não é nada fácil ser eu mesma - que bom que tenho o blog para desabafar.
Manter o foco no nosso objetivo de vida é o maior dos desafios... entretando, quando mantemos a linha certa que nos leva a meta final, naturalmente os acontecimentos vão se encaixando e os desafios vão se tornando suaves e agente nem percebe quanta coisa já fez.

- viver no presente é uma glória; olhar para trás e observar o que já passou é um impulso para alcançar aquilo que está para acontecer...
Sempre aberta para desistir, retomar, fazer e recriar novas oportunidades!!

I can’t seem to face up to the facts
I’m tense and nervous and Can’t relax
I can’t sleep cause my bed is on fire
Don’t touch me I’m a real live wire
Psycho killer Quest que cest
Fa fa fa fa fa fa fa fa fa far better
Run run run run run run run away
You start a conversation you can’t even finish it.
You’re talking a lot, but you’re not saying anything.
When I have nothing to say, my lips are sealed.
Say something once, why say it again?