Quem somos

30 de nov de 2009

Apaixonada por coincidências...

Quando menos se espera, quando desespero e reflexão não saem da mente, lá vem o universo nos entregar opções, bem na nossa mão...talvez não seja bem aquilo que você queira, ou que você achava que precisava...mas se você agarrar essa "oportunidade" com tudo - aliás a princípio você vai achar que está dando tudo errado - se você aceitar por um momento entenderá mais tarde o porque de tantas "coincidências" nessa vida...
Acho que nunca vivi tanto o presente...cada dia é um dia de oportunidade para continuar nessa jornada...claro, existem dias que é difícil de aceitar...porque as coisas não acontecem como planejei?? Não interessa mais...ontem tive mais uma oportunidade!! Organizei a vida de alguém...no sentido literal da coisa...organizei um closet e ganhei um dia de reflexão...(além de uns bons trocados é claro). Era um lugar escuro, onde roupas limpas e sujas se esfregavam pelo chão, e o que não interessava mais era "guardado" atrás do armário...os ácaros faziam a festa por muitos anos, não havia janela...era assustador...a energia estagnada parecia sólida e não conseguia mais voar...depois de 4 horas, ouvindo Across the Universe...tudo começou a fluir, inclusive a minha aceitação perante ao universo...

*Kaka, parece nós há um ano atrás...



"Palavras flutuam como uma chuva sem fim dentro de um copo de papel
Elas se mexem selvagens enquanto deslizam pelo universo.
Um monte de mágoas, um punhado de alegrias estão passando por minha mente
Me possuindo e acariciando

Jai guru deva, Om

Nada vai mudar meu mundo

Imagens de luzes quebradas que dançam na minha frente como milhões de olhos
Eles me chamam para ir pelo universo
Pensamentos se movem como um vento incansável dentro de uma caixa de correio
Eles tropeçam cegamente enquanto fazem seu caminho pelo universo

Jai guru deva, Om

Nada vai mudar meu mundo

Sons de risos, sombras de amor estão tocando meus ouvidos abertos
Me excitando e convidando
Um amor incondicional sem limites que brilha em minha volta como milhões de sóis
E me chamam para ir pelo universo

Jai guru deva, Om

Nada vai mudar meu mundo
(Across the Universe - The Beatles, traduzido por algum desconhecido)

29 de nov de 2009

Capítulo 2


Em San Fran, depois de algum tempo, nos demos conta como nosso estilo começa a se transformar...começamos adicionando alguns itens e tirando outros...e na hora da preguiça, vai de pijama de mesmo...que não tem problema algum...nas ruas é sempre tempo de competição...que vença o melhor outfit!!

Capítulo 2 
O Tênis 

Decidi comprar um tênis colorido! Nunca tive um tênis assim antes e decidi ter um agora. Entrei em uma loja na Valência e escolhi exatamente o que não tinha meu número. Nem tudo na vida é tão simples assim mesmo, pensei. Mas o desejo pelo tênis não desapareceu facilmente e apontei para o próximo, que putz também não tinha o meu número. God dam it! A esperança é a última que morre. Que tal aquele?? Era lindo, vibrante, das cores da jamaica...Jah help me!! Lá vem o vendedor balançando negativamente a cabeça...que loja é essa que nunca tem nada??...foram as palavras que fizeram cócegas nas minhas cordais vocais. Respirei fundo, tentei me desapegar do desejo e desistir, afinal era apenas um tênis, que diferença isso faz na vida de uma pessoa anyways!! O vendedor se pronuncia quando já estou na porta: - "Passa aqui amanhã nesse mesmo horário que seu tênis estará aqui". Yes!! Sabendo que ia acabar tudo bem mesmo, repondi: "No problem! Amanhã estarei aqui para pegar meu tênis."... Nem cheguei a sonhar a noite comigo desfilando nas ruas de San Fran com meu super tênis estereótipo regueiro maconheiro...mas no outro dia incluí na minha agenda: -buscar meu tênis novo na loja!!
Depois de mais um dia de trabalho vou empolgado a mesma loja do dia anterior...
-Hey man, meu tênis chegou??
-Opppsss, não...sorry...esqueci. 
A frustação já tomava conta das minhas sensations...tudo bem, não podemos sofrer pelo que a gente não pode mudar mesmo...
-Thank you! e ciao...
- No wait! Eu vou até o depósito rapidinho e você fica aqui na loja...mas vou ter que trancar você aqui dentro, tudo bem?
Uma luz no fim do túnel, oba!
-Tudo bem, eu espero!
O vendedor deixa a loja com todo seu estoque e caixa registradora. Pega uma caixinha, suas chaves e o skate. A caixinha era para mim, as chaves para me trancar dentro da loja e o skate para sua locomoção até o depósito distante algumas quadras dali. Fiquei ali, olhando ele me trancar e subir em seu skate, abrindo a caixinha, sentando no backyard, pois sim a loja tinha um jardim, ouvindo uma música atraente para meus ouvidos e ficando doidão...
Meia hora depois saio da loja (feliz da vida) com meu tênis rastafari, eufórico, rindo a toa, sem noção de tempo e espaço, com muitas idéias, pensando mais rápido que a capacidade de falar, com muito apetite e concluindo: "Só em San Francisco mesmo!"...

*história contada por um novo amigo em uma roda de novos amigos, super adaptado por mim

24 de nov de 2009

Black

I know someday you'll have a beautiful life,
I know you'll be a sun in somebody else's sky, but why
Why, why can't it be, can't it be mine

Aah... uuh...

Pearl Jam

Blog apaixonado

A Marza disse que esse blog estava com cara de apaixonado... A Paulete Chocolate deixou um comentário falando das coisas do coração... Jujuba belezinha adora corações... Eu vivendo todas essas emoções. Talvez essa citação nos ajude a entender ou viver alguma coisa a mais.

"If you have love in your life it can make up for a great many things you lack. If you don't have it, no matter what else there is, it's not enough".

(Se você tem um amor na sua vida, isso pode compensar muita coisa que falta. Se você não tem, não importa o que mais existe, nunca é suficiente).

E quem não tem problema??


Sempre soube que no fundo todos têm problemas, ou seja, processos. Porem, pouco antes de embarcar para San Francisco foi que percebi que muitas pessoas têm problemas realmente reais, outras apenas criação da mente. Acho que até fiz uma postagem sobre isso... deve estar por ai em algum lugar nesse blog.

Enfim... quando percebi o tamanho da mudança que estava prestes a fazer me dei conta do quanto a minha vida era boa e chata. Trabalhava de 3 a 4 horas por dia, curtia praia, amigos e algumas baladas esporádicas. Morava em uma super casa com piscina, suíte, sala de prática; o carro dos sonhos de todo triatleta, um Doblô; Família sempre por perto para dar estrutura; cabeleireiro, roupa nova e viagens.

E ainda tenho que mencionar o fato de ser brasileira e morar em Floripa, nosso país está na moda!!

Bom, escrevi isso tudo para dizer que hoje eu definitivamente sai dos problemas imaginários para os reais. Tenho que decidir onde morar, trabalhar, pagar aluguel e outras contas, ir ao mercado, lavar roupa, fazer entrevista de emprego, lidar com burocracias de ser uma estrangeira, falar outra língua, ficar apaixonada pelo cara que não liga nunca... ouvir meus amigos que assim como eu passam por diversos problemas e por fim, tenho que lidar com o processo dos outros... será que foi uma grande mudança??

O que mais me impressiona é que estou feliz de estar aqui, perceber que a vida vai além do meu ‘quadradinho’ e que problemas existem para serem vividos, compreendidos e superados. Cada um no seu mundinho, com alguma coisa em comum.

23 de nov de 2009

Aqui e Agora

Para refletir sobre nossas fugas...

...foi o que eu fiz alguns anos atrás, cansada do tamanho pequeno de Floripa, fugi para longe...mais uma vez agora viajo atrás de novas experiências que minha cidade não me proporciona, mas acredito que desta vez seja apenas pelo fato de 'I can't get no satisfaction' e porque realmente estava na hora de levantar, voar e fazer...afinal de contas eu não preciso "ser alguém"...eu já sou, do jeitinho que sou...


"No começo, eu dizia brincando; agora, digo sério. Toda vez que alguém me diz que a cidade dele ou dela é pequena, digo sem piscar: "Pequeno és tu!".

Ando muito pelas nossas cidades catarinenses, muito. Volta e meia, depois de uma palestra, ouço alguém dizer que a cidade é pequena, querendo, com isso, dizer que ali são poucas as chances de crescer e ser alguma coisa na vida.
Quando ouço isso, digo que em São Paulo, neste momento, há milhares de desempregados, de suicidas escolhendo o melhor lado do viaduto para saltar sobre o asfalto. Neste momento, em São Paulo, há milhões de gente rangendo dentes, querendo estar num paraíso. E o paraíso existe, aliás, existem, são muitos. Basta que a pessoa venha dar um giro pelas cidades de Santa Catarina. Mas que fique claro aos que não aceitam a ideia: não são as cidades que fazem as pessoas felizes, são as pessoas que fazem as cidades felizes...

Sabes por que venho a este assunto, leitor pai, leitora mãe? Porque os nossos filhos precisam aprender que antes de pensar em voos mais altos precisam aprender a voar.

Acabei de ler sobre um encontro nacional de pessoas ligadas às áreas de gestão e RH. O encontro reuniu especialistas de todo tipo. Dois deles chamaram-me a atenção. Eram formados em Filosofia, falaram de tudo, desde tecnologia da informação, seus diversos aspectos, à música associada à gestão de pessoas.

Estou cansando de ver pessoas baixando a voz, tossindo, antes de dizer do curso que estão fazendo ou do diploma que têm em casa. Pessoas que ficam envergonhadas do seu título acadêmico. Não é o caso de Filosofia, que é o mais importante de todos.

Não sabem muitas pessoas que, não raro, estão sentadas sobre tronos de ouro e choram misérias como pobres. Qualquer curso pode ser transformado numa mina de dinheiro e de realizações. Em qualquer cidade. Não é o diploma ou a cidade que faz a pessoa, é a pessoa que se faz.

Se eu te perguntar agora o que tens, não importa a resposta, digo-te que tens muito. O que tens pode ser transformado em muitíssimo mais. Tudo vai depender da tua gestão pessoal do que tens na mente. Na mente, não no banco. O que nos faz a grandeza nunca está fora de nós, está sempre na mente. E isso independe de idade, diploma ou cidade.

Com o que tens agora, tens muito. O que te pode faltar é iniciativa, levantar e fazer. E, mais uma vez, isso nada tem a ver com o lugar em que estejas. E para terminar a conversa, como digo nas palestras, o melhor lugar para ser feliz é aqui... e agora."


Artigo que está no JSC, por Luiz Carlos Prates 
Postado por Luiz Carlos Prates às 07h19
Quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Ponto de vista


"A prisão não são as grades,
e a liberdade não é a rua;
existem homens presos na rua e livres na prisão.
É uma questão de consciência."

22 de nov de 2009

Vai saber?

Fiquei doente!!! Claro, corpinho não aguentou a pressão. Muita turbulência emocional em poucos dias. Ainda bem que fui triatleta e o coração estava preparado para grandes emoções.
Mas enfim, essa é definitivamente uma postagem difícil de fazer.. vou tentar escrever sobre o que nem eu sei explicar, está tudo aqui dentro – pura orgia no coração, corpo e mente.
Por que agente se apaixona heim?? Bem lá no fundo sei que vale a pena, mas é tão difícil!! As vezes gostaria de racionalizar e entender a força do sentimento, mas acho que não é bem simples assim.
Anyways.. essa semana foi longa, cheia de acontecimentos. Algumas oportunidades profissionais inesperadas surgiram com toda força me deixando zonza de tanta adrenalina. O Viking resolveu surgir das trevas e passar um dia inteiro comigo... haja Yoga numa horas dessas... confesso que é fácil se entregar e viver, difícil é aceitar o que vem depois.
Coloquei Marisa Monte na Pandora.com e a primeira música que veio serviu direitinho para esse momento:

Não vá pensando que determinou
Sobre o que só o amor pode saber
Só porque disse que não me quer
Não quer dizer que não vá querer
Pois tudo o que se sabe do amor
É que ele gosta muito de mudar
E pode aparecer onde ninguém ousaria supor
Só porque disse que de mim não pode gostar
Não quer dizer que não tenha do que duvidar
Pensando bem, pode mesmo
Chegar a se arrepender
E pode ser então que seja tarde demais
Vai saber?
Não vá pensando que determinou
Sobre o que só o amor pode saber
Só porque disse que não me quer
Não quer dizer que não vá querer
Pois tudo o que se sabe do amor
É que ele gosta muito de se dar
E pode aparecer onde ninguém ousaria se pôr
Só porque disse que de mim não pode gostar
Não quer dizer que não tenha o que considerar
Pensando bem, pode mesmo
Chegar a se arrepender
E pode ser então que seja tarde demais
Vai saber?
Vai saber?
Vai saber?
Adriana Calcanhato

Você sabe o que não quer?


Worrying is only praying
for something you don't want,
so stop praying for what you don't want!
Bhagavan Das from 'What About Me?'
Preocupação e apenas uma oração para aquilo que você não quer,
então pare de rezar pelo que você não quer!!
(From David's facebook)

20 de nov de 2009

a
As possibilidades de felicidade
São egoístas, meu amor
Viver a liberdade, amar de verdade
Só se for a dois(Só a dois)
a
Aos filhos de Ghandi
Morrendo de fome
Aos filhos de Cristo
Cada vez mais ricos
O beijo do soldado em sua namorada
Seja pra onde for
Depois da grande noite
Vai esconder a cor das flores
E mostrar a dor (A dor)
Cazuza / Rogério Meanda

19 de nov de 2009

Tudo de novo

Quem um dia irá dizer
Que existe razão
Nas coisas feitas pelo coração?
E quem irá dizer
Que não existe razão?
Final de semana passado percebi que ainda era uma apaixonada... mas hoje decidi assumir, fui toda sem graça contar para minha blog/room mate que era apaixonada pelo Viking/Bicho de Goiaba/Branquelo e ela me manda uma básica: aha e quem que não sabe disso...
Ai ai, parece que todos sabem que eu estava tentando me divertir com os errados enquanto o que eu quero que seja o certo não decide sair do banheiro.
Coisas do coração, vai entender né!!!

17 de nov de 2009

If you had enough,
a
how would you know?
a

Se você tivesse o suficiente,

como saberia?

Comportamento feminino

Nós mulheres somos tipicamente engraçadas, queremos ser entendidas porém, não nos preocupamos em esclarecer o que queremos... Um mês e meio aqui e a conclusão é: definitivamente tem um erro de comunicação entre nós mulheres e nossos amigos do sexo oposto.
Interessante, acabei de perceber que se eu aprender a dizer o que realmente quero, sinto e penso tudo pode ficar mais fácil e claro... Vamos ver se funciona!!
- Filhinha de papai decide abrir o jogo... será que vai virar novela, seriado ou aquilo que ela acha que realmente quer.. apenas um programinha semanal...
Meu amor ele é demais nunca de menos
Ele não precisa de camisa-de-vênus
Ouça o que eu vou dizer, meu bem me ouça,
O que ele precisa é de uma camisa-de-força.
Você é a minha cura, se é que alguém tem cura
Você quer que eu cometa uma loucura?
Se você me quer... cometa!"
Zeca Baleiro

14 de nov de 2009

Porque eu amo essa cidade...


Vou lançar um blog, dentro de um blog..."Porque eu sou fã de San Francisco"... até quando isso tudo durar...seja até amanhã, final do mês ou ano que vem, 2012 talvez, até ao amanhecer...

Capítulo 1 (não quer dizer que seja uma sequência lógica dos fatos):
O Trabalho - fui trabalhar na cidade vizinha

A menina vai trabalhar em um restaurante brasileiro que a maioria dos clientes são brasileiros e inclusive onde os funcionários também são brasileiros. Segundo dia de trabalho o relógio avisa que é hora de partir. Ela vai Feliz da vida, pois tem que pegar 1 trem e se tudo der certo 1 ônibus, se não acontecer de ser no mínimo 2 e chegar em casa 1 hora depois. Ela respira profundo e ouve "hey, quer uma carona?". Não querendo acreditar no que ouviu, ela vira o rosto e vê um cliente do resturante do tipo "oba, carne fresca" que diz que está indo pra San Francisco. (detalhe que depois ele confessa que fazia anos que não ia para a "cidade") O cliente oferece uma carona! Mas ela disse: "não precisa, imagina", imaginando que estava entrando no carro espaçoso, com aquecedor e chegando em casa em 20 minutos, no máximo. Não quer mesmo? - ele insistiu e a imaginação dela não descartava a hipótese de entrar naquele carro. Ela: "Você vai mesmo pra San Francisco?" ... esperando a resposta sim ela diz um sim. Além do que a imaginação tinha razão, a viagem foi divertida e deve-se acrescentar alguns detalhes: dentro da caminhonete de fazenda rolava um dvd do Zezé di Camargo e Luciano , cintos e botas de cowboy, que fala ocê e uai, monta animais, inclusive um pisou no cotovelo do menino que não estica mais e ainda pergunta se ela é vegetariana. Mora nos States há milhões de anos e acha que aqui não é legal, está louco pra "sossecasar", cuidado ele pode te pegar. Tem um filho que não conhece e trabalha na Fedex. Ela então ouviu o resumo da vida do moço e começou a refletir sobre a vida e a conclusão foram perguntas como sempre..."porque sofremos tanto? Por que não apenas mudamos a perspectiva, o ponto de vista dos problemas, assim como mudamos de estilo e criação? Por que we can get no satisfaction?" Seja aqui ou acolá os "problemas" de carência, medo, limitação e tristeza são sempre os mesmos! Well, a menina chegou em casa sã e salva, quentinha, Feliz da vida por ter tido mais um contato com a diversidade e igualdade do ser humano. Um cowboy de verdade do seu país em San Francisco...Histórias de San Fran...

*Ela só espera não pegar mal com o chefão ter "cobiçado" a carona do cliente no segundo dia de treinamento. Acho que não tem problema não...
 

Exclusivo para Brasileiros

http://www.tukapereira.com/blog/
Se história da Chapeuzinho Vermelho fosse verdade, como ela seria contada na imprensa do Brasil? Veja as diferentes maneiras de contar a mesma história.
Jornal Nacional (William Bonner): 'Boa noite. Uma menina chegou a ser devorada por um lobo na noite de ontem...' (Fátima Bernardes): '...mas a atuação de um lenhador evitou a tragédia.'
Programa da Hebe '...que gracinha, gente! Vocês não vão acreditar, mas essa menina linda aqui foi retirada viva da barriga de um lobo, não é mesmo?'
Cidade Alerta
Datena: '...onde é que a gente vai parar, cadê as autoridades? Cadê as autoridades? A menina ia pra casa da vovozinha a pé! Não tem transporte público! Não tem transporte público! E foi devorada viva... um lobo, um lobo safado. Põe na tela, primo! Porque eu falo mesmo, não tenho medo de lobo, não tenho medo de lobo, não!
Superpop
Luciana Gimenez: 'Geeente! Eu tô aqui com a ex-mulher do lenhador e ela diz que ele é alcoólatra, agressivo e que não paga pensão aos filhos há mais de um ano. Abafa o caso!'
Globo Repórter
Chamada do programa: 'Tara? Fetiche? Violência? O que leva alguém a comer, na mesma noite, uma idosa e uma adolescente? O Globo Repórter conversou com psicólogos, antropólogos e com amigos e parentes do Lobo, em busca da resposta. E uma revelação: casos semelhantes acontecem dentro dos próprios lares das vítimas, que silenciam por medo. Hoje, no Globo Repórter.'
Discovery Channel Vamos determinar se é possível uma pessoa ser engolida viva e sobreviver.
Revista Veja Lula sabia das intenções do Lobo.
Revista Cláudia Como chegar à casa da vovozinha sem se deixar enganar pelos lobos no caminho.
Revista Nova Dez maneiras de levar um lobo à loucura na cama!
Revista Isto É Gravações revelam que lobo foi assessor de político influente.
Revista Playboy (Ensaio fotográfico do mês seguinte): ' Veja o que só o lobo viu'.
Revista Vip As 100 mais sexies - desvendamos a adolescente mais gostosa do Brasil!
Revista G Magazine (Ensaio com o lenhador) 'O lenhador mostra o machado'.
Revista Caras (Ensaio fotográfico com a Chapeuzinho na semana seguinte): Na banheira de hidromassagem, Chapeuzinho fala a CARAS: 'Até ser devorada, eu não dava valor pra muitas coisas na vida. Hoje, sou outra pessoa.'
Revista Superinteressante Lobo Mau: mito ou verdade?
Revista Tititi Lenhador e Chapeuzinho flagrados em clima romântico em jantar no Rio.
Folha de São Paulo Legenda da foto: 'Chapeuzinho, à direita, aperta a mão de seu salvador'. Na matéria, box com um zoólogo explicando os hábitos alimentares dos lobos e um imenso infográfico mostrando como Chapeuzinho foi devorada e depois salva pelo lenhador.
O Estado de São Paulo Lobo que devorou menina seria filiado ao PT.
O Globo Petrobrás apóia ONG do lenhador ligado ao PT, que matou um lobo para salvar menor de idade carente.
O Dia Lenhador desempregado tem dia de herói
Meia hora Lenhador passou o rodo e mandou lobo pedófilo pro saco!
O Povo Sangue e tragédia na casa da vovó.

Filhinha de Papai. EU?

Tá bom, hora de assumir publicamente que eu sou uma super patricinha e filhinha de papai. Fora de casa por seis semanas, tendo que economizar ao máximo para estender a minha quinta jornada em San Francisco, me olhei no pequeno espelho da nossa minúscula casa e fiquei com vontade de voltar correndo... cruz credo!
Minha progressiva está acabando, cabelo precisa de corte, manicure e pedicure, depilação com cera quentinha de mel, sombrancelha ficando tortinha.. ai socorro, será que já estou muito velha para essas aventuras?
Ah, sem contar a saudade da natação, corrida, minha bike... mãe, pai, irmão, amigos e FIDEL!!!
Hmm tudo na vida tem seu preço né... pelo menos aqui eu tenho prática, professor e colegas; tenho balada e vários gatinhos; malucos para me distrair por todos os lados; milhões de eventos legais rolando ao mesmo tempo; amigos... pena que nem sendo a típica filhinha de papai dá para ter tudo que agente quer na vida!!

Para sentir na pele

"Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou tv. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar do calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver".
Amyr Klink in "Mar sem fim: 360̊ ao redor da Antártica‎"

11 de nov de 2009

I know but one freedom
and that is the freedom of the mind.
Antoine de Saint-Exupery

Ainda estou off line... ao mesmo tempo que muita coisa acontece por aqui, ironicamente nada parece mudar, mas estou muito feliz!!! Espero em breve ter tempo e cabeça para conseguir sentar e expor algumas idéias... ou melhor, espero em breve entender o que acontece dentro do coração, acho que aí sim vou conseguir escrever.


Sênior Little Crazys



83-year-old Yoga instructor, Bette Calman, performs Yoga moves in Melbourne, Wednesday April 22, 2009. Bette moved to Melbourne to retire 8 years ago, only to find herself back in action again after her daughter Susie, who is also a Yoga instructor, was pestering for fill-in teachers. Despite her senior age, Bette is still practicing and teaching Yoga, teaching up to 11 classes a week. Bette has been practicing Yoga for over 40 years, and has no intention on stopping anytime soon.

Com 83 anos de idade, a instrutora de Yoga Bette Calman, realiza movimentos de Yoga em Melbourne, Austrália. Praticante há mais de 40 anos, Bette não tem nenhuma intenção em parar tão cedo.
É assim que eu quero estar praticando daqui há alguns aninhos.. e a idéia das apresentações pelo mundo nem é tão mal assim - keep practicing!!!!

7 de nov de 2009

A força da natureza

Pacifica Beach by marza tozo
Hoje o mar do Pacífico estava agitado...assim como minha mente anda nos últimos dias...quero a força dessas ondas...quero ela dentro de mim...
(...)
Consegui sentir 
Na força da natureza
A essência da vida.
Consegui sentir 
Na força do vento
A fraqueza da vida.
Entendi quão fraco
Somos ao aparentar
Uma força inexistente
Para confortar
O ego.

Não devemos nos enganar
Com a aparente suavidade
De um tempo sem tormenta.
Nem devemos nos assustar
Com as tempestades repentinas.
Devemos sim, entender
Que a natureza
Nos faz compreender
O incompreensível.
Devemos entender 
Também 
Que os dias de sol
E os dias de chuva possuem
O mesmo apreço. 

Sol e chuva
Possuem o mesmo criador
E atingem as mesmas 
Criaturas.

Se estiveres passando 
Por dias ensolarados
Não se esqueça 
Que uma tempestade
Repentinamente
Poderá surgir.
E se estiveres passando
Por dias de tormenta
Não se esqueça 
Do brilho do sol.

Devemos crer
E entender 
Que fazemos parte
De um ciclo cósmico natural,
Onde a força da natureza
Transforma um fraco em forte
E dá vida ao
Que na vida padecia.

Somos parte
Da onda que se quebra,
E do vento que do 
Nada se constrói
E no nada se destrói.

Do que viemos voltaremos.
E na natureza
Eternamente permaneceremos.

Somos parte
De um todo 
Que para todo 
O sempre existirá.

Somos, portanto imortais.
(autor desconhecido)

6 de nov de 2009

Absolutely priceless


Algumas coisas na vida não têm preço... faz tempo que estou tentando escrever sobre esses momentos, ao menos, gostaria de citá-los.. mas acabo protelando e nem sei porque.
Essa semana comecei a ler as postagens antigas desse blog e percebi que uma das coisas mais legais que aconteceram na minha vida foi criá-lo. Tantos conflitos, sonhos, realizações, velhas e novas idéias, pessoas.. enfim, muita coisa sobre a minha vida exposta sem pudor, sem medo e sem representação... sou eu lá, do meu jeitinho, escrevendo tudo que penso e sinto o tempo todo.
Fiquei emocionada!! Definitivamente ter um blog não tem preço, principalmente quando vi o número de visitantes nos últimos meses...
GALERA, MUITO OBRIGADA pelas 10.000 visitas!!
Sei que muita coisa que contêm aqui parece loucura, e realmente acho que é, muitas postagens são subjetivas, sem nexo ou noção de nada. Mas todas tem um sentido de ser e além do mais, somos sempre sinceras e escrevemos com o coração... mais uma vez obrigada por fazer parte dessa história.

4 de nov de 2009

Behind the masks




There are so many special
people in this town...
Halloween, 2009.

Tá intenso.. e profundo.


Estou sentindo que preciso me manifestar, porém quanto mais processada eu fico, menos quero escrever... mas enfim, aqui vai uma tentativa.
Hoje faz exatamente um mês que sai do Brasil, foram 30 dias de pura alegria e diversão... me perdi pelas baladas da cidade; pratiquei muito e fui para escolinha de inglês. Até então nenhuma dificuldade... quando agente está bem e feliz é super fácil conhecer pessoas especiais em qualquer lugar; a prática foi super tranqüila e na escolinha de inglês peguei uns professores legais que até me deixavam chegar atrasada algumas vezes e em nenhum momento tive dificuldade com o idioma.
Enfim, mudou o mês e mudei quase “sem querer” minha vida – aih quanto processo, caramba!!!
Ao longo desses últimos dias percebi que estava precisando de um upgrade na minha prática e que em breve deveria procurar algo mais intenso que fosse mais profundo nos meus processos... bom, quem procura acha... dois dias de prática com a nova professora e já me sinto literalmente arregaçada (me desculpem pelo termo) por dentro e por fora.
Sai do estúdio atordoada, mal conseguia pedir um café no Starbucks, e mesmo perturbada daquele jeito, tive que ir para escolinha. Para agravar ainda mais as mudanças, semana passada passei para um nível mais avançada e consequentemente meus professores agora são outros, muito mais rígidos e exigentes.
Resumindo tudo ficou muito mais intenso e profundo... as práticas, as aulinhas de inglês e principalmente a programação do final de semana... só falta arrumar um super emprego agora... aih será que eu agüento???

3 de nov de 2009

oh Lua


Amaram o amor urgente
As bocas salgadas pela maresia
As costas lanhadas pela tempestade
Naquela cidade
Distante do mar
Amaram o amor serenado
Das noturnas praias
Levantavam as saias
E se enluaravam de felicidade
Naquela cidade
Que não tem luar
Amavam o amor proibido
Pois hoje é sabido
Todo mundo conta
Que uma andava tonta
Grávida de lua
E outra andava nua
Ávida de mar

E foram ficando marcadas
Ouvindo risadas, sentindo arrepio
Olhando pro rio tão cheio de lua
E que continua
Correndo pro mar
E foram correnteza abaixo
Rolando no leito
Engolindo água
Rolando com as algas
Arrastando folhas
Carregando flores
E a se desmanchar
E foram virando peixes
Virando conchas
Virando seixos
Virando areia
Prateada areia
Com lua cheia
E à beira-mar
Chico Buarque

1 de nov de 2009

Nothing left to say


"Não podemos querer que as coisas mudem se sempre fazemos o mesmo. A crise é a maior benção que pode acontecer às pessoas e aos países, porque a crise traz progressos. A criatividade nasce da angústia assim como o dia nasce da noite escura. É na crise que nascem os inventos, os descobrimentos e as grandes estratégias. Quem supera a crise supera a si mesmo sem ter sido superado.

Quem atribui à crise seus fracassos e penúrias, violenta seu próprio talento e respeita mais aos problemas do que às soluções.

A verdadeira crise é a crise da incompetência. O inconveniente das pessoas e dos países é a dificuldade para encontrar as saídas e as soluções. Sem crises não há desafios, sem desafios a vida é uma rotina, uma lenta agonia. Sem crises não há méritos. É na crise que aflora o melhor de cada um, porque sem crise todo vento é uma carícia. Falar da crise é promovê-la e calar-se na crise é exaltar o conformismo. Em vez disto, trabalhemos duro. Acabemos de uma vez com a única crise ameaçadora, que é a tragédia de não querer lutar para superá-la."

Albert Eisntein