Quem somos

29 de mar de 2009

Embriague-se como quiser!!

Halloween, 2002. San Francisco

Enivrez-vous
Il faut être toujours ivre. Tout est là: c'est l'unique question. Pour ne pas sentir l'horrible fardeau du Temps qui brise vos épaules et vous penche vers la terre, il faut vous enivrer sans trêve.
Mais de quoi? De vin, de poésie ou de vertu, à votre guise. Mais enivrez-vous. Et si quelquefois, sur les marches d'un palais, sur l'herbe verte d'un fossé, dans la solitude morne de votre chambre, vous vous réveillez, l'ivresse déjà diminuée ou disparue, demandez au vent, à la vague, à l'étoile, à l'oiseau, à l'horloge, à tout ce qui fuit, à tout ce qui gémit, à tout ce qui roule, à tout ce qui chante, à tout ce qui parle, demandez quelle heure il est et le vent, la vague, l'étoile, l'oiseau, l'horloge, vous répondront: "Il est l'heure de s'enivrer! Pour n'être pas les esclaves martyrisés du Temps, enivrez-vous; enivrez-vous sans cesse! De vin, de poésie ou de vertu, à votre guise."

Charles Baudelaire

Embriague-se
É preciso estar sempre embriagado. Aí está: eis a única questão. Para não sentir o fardo horrível do Tempo que verga e inclina para a terra, é preciso que se embriagar sem descanso. Com quê? Com vinho, poesia ou virtude, como quiser. Mas embriague-se. E se, porventura, nos degraus de um palácio, sobre a relva verde de um fosso, na solidão morna do quarto, a embriaguez diminuir ou desaparecer quando você acordar, pergunte ao vento, à vaga, à estrela, ao pássaro, ao relógio, a tudo que flui, a tudo que geme, a tudo que gira, a tudo que canta, a tudo que fala, pergunte que horas são; e o vento, a vaga, a estrela, o pássaro, o relógio responderão: "É hora de embriagar-se! Para não ser o escravo martirizado do Tempo, embriague-se; embriague sem descanso". Com vinho, poesia ou virtude, como quiser!!

Dedos de pimenta!!




Essa semana que passou senti na pele as conseqüências de uma viagem de mais de 1 mês na Índia. Precisava comer uma comida apimentada!! E não adianta colocar molho de pimenta em conserva, pois esse produto já está presente no dia a dia, e não conseguiu "satisfazer o desejo" (olha o craving). Precisava de uma pimenta in natura que viesse lá do fundo do sabor do prato. Resolvi fazer um prato indiano com todos os temperos que eu havia trazido da Índia, porque até então eu estava misturando com alguns temperos que havia comprado antes da viagem aqui no Brasil. Portanto o prato ficou muito forte, apimentado e delicioso, além dos dedos arderem durante 24 horas após o preparo do jantar. Foi o meu namorado que me serviu de base de comparação. O prato pra ele estava apimentadíssimo. E pra mim?? Estava forte, mas não tão forte assim...acho que perdi a noção e a sensibilidade em relação a pimentas, como obtive muitos outros processos mentais nessa viagem que ainda estou tentando digerir. Ah essas viagens!!

25 de mar de 2009

em resposta a postagem anterior...


By Marza Tozo

"Sweet dreams are made of this
Who am I to disagree?
Travel the world and the seven seas
Everybody's looking for something
Some of them want to use you
Some of them want to get used by you
Some of them want to abuse you
Some of them want to be abused"

Eurythmics

Meia Iron Girl

Esse vídeo mostra imagens do ironman no Havaí, lindo e emocionante!!


Vou relatar aqui, como foi minha experiência na prova de domingo "Long Distance de Caiobá", no litoral do Paraná... ou melhor, vou tentar falar sobre a relação que tenho com o esporte.
Só para esclarecer, no meio ironman são ao todo:
1900m de natação; 90km de ciclismo; 21km de corrida.
Como diria minha "Cruzes Claúdia, tudo de vereda, que loucura".
Sim, que loucura!!! Todos sabem que o triatleta tem uma rotina insana de treinos... não colocaria aqui uma planilha para não acharem que sou mais maluca do que pareço ser, e até por que não vem ao caso.
Mas enfim, sai de Floripa sábado pela manhã, seriam cerca de 4 horas de viagem... rock in roll bombando no asfalto, mente tranquila sem se dar conta do tamanho desafio que viria pela frente.
No caminho fiquei reproduzindo na tela mental toda a história com o triathlon, tipo como tudo começou, primeira prova, segunda e terceira... a garra, o amadurecimento... as fases, a falta que fez nos momentos em que estava longe dos treinos... o novo foco - onde busco técnica, qualidade de equipamentos e provas mais desafiadoras, de preferência que incluam viagens.
É mesmo de coração, sempre falo que não consigo ficar longe porque minha 'alma é triatleta', expressão forte essa heim... mas é isso que concluí... aumentei o som e soltei completamente meus pensamentos.
Trocando de Janis Joplin para Radio Head, na incrível voz de Tom Yorke, me identifiquei com um dos clássicos da banda, que talvez justifique muita coisa.


I wanna have control, I wanna a perfect body,
I wanna a perfect soul.


Só para terminar, fechei a prova bem a baixo do tempo que havia previsto com 5h45min. Chorei na largada, assim que peguei postura na água e estabeleci meu ritmo, ali senti de verdade que havia começado, fiz uma ótima natação.
No ciclismo, o vento contra potenciolizou o desafio, e na corrida, como já era previsto, sol de meio dia penetrando na pele e queimando o pé fez da meia maratona uma das coisas mais difíceis que já fiz na vida. Finalizei a prova me sentindo muito bem, assim como iniciei, com lágrimas nos olhos - afinal, mais um sonho realizado e a certeza que outros 'long distances' virão!!!

20 de mar de 2009

E na balada...


... aqueles que foram vistos dançando
foram julgados insanos
pelos que não podiam
ouvir a música...
(Nietzsche)

Why not??

Já que o momento é puro Rock in Roll... a trilha sonora têm sido The Doors. Em um dos Cds que mais gosto, tem uma faixa em que ele canta:

Alright, Alright, Alright,Alright, Alright, Alright
yehhh........Alright.....owwww darlin
Yeah..... ahhhhh.......Goodtimes
everybody feel alright?
Well I feel alright myself, o yeah!
well I feel pretty good, yeah!
Yeah...i feel alright now, baby...wow...
why not? why shouldnt I feel good?
allllright!
(Todos bem? Eu estou bem! Sim, eu estou muito bem.
E por que não? Por que eu não me sentiria bem?)
Cada vez que escuto Jim Morrison soltando a voz e perguntando 'Why not? Why shouldn't I feel good?'... aumento o som e me sinto muito muito melhor que já estava antes.
Let's everybody feel alright... e para não perder o hábito feel alright, happy and free!!!

19 de mar de 2009

Tieta do Agreste


Não sou muito adepta aos salões de beleza, mas confesso que quando surgem datas especiais, eu me entrego totalmente àquele mundinho, tão tão tão estético, digamos assim. Tão contador de histórias "verídicas"...e tão engraçado...just relax, gaste seu dinheiro e fique mais bonita!! Mas enfim, não pude deixar de conferir uma revista Caras, que muitas vezes soa melhor que os comentários superficiais que rondam o ambiente. Por favor, isso não é uma generalização. Mas onde quero chegar é numa reportagem da Betty Faria, atriz envelhecida estilo gostosona. Quem diria, pague a sua língua, me identifiquei com a Tieta do Agreste - Lua cheia de tesão!! (ah só incluí os trechos da entrevista pertinentes a esse blog)


"- ... Quero ficar livre, leve e solta.

- Fiz tudo muito bem (risos). O rock me pegou...eu o abracei e definitivamente sou rock'n'roll. É um estado de espírito que te faz anticonvencional. Não me enquadro nas regras, sempre fui rebelde.

- Sempre quis fazer tudo de acordo com meus sentimentos...Sou movida a amor e entusiasmo. E, hoje, vejo que a contestação sempre foi uma vontade de ser l ivr e . Que r o exercer isso cada vez mais... Quero é ser feliz."


Ou seja, não existe idade padrão para nada...a vida muda o tempo todo, não se esqueça do always changing, portanto vou continuar curtindo meu estilo rock'n'roll antes que ele acabe...

18 de mar de 2009

assim... complicado de explicar

Momento difícil de expressar minhas idéias... abro o blog, fico tentando escrever e simplesmente não consigo. Uma sensação de stand by está me dominando.
Claro que, me peguei pensando "por que será??".
Semana passada consegui que a música de uma amiga tocasse na programação da rádio Itapema FM. Não apenas entrou na programação como saiu nos comentários do programa "meio dia em ponto do Pedro Leite". Sensação bacana essa, ter a música que você indicou tocando na rádio - gostei - fiquei com vontade de correr pelo mundo em busca de novos talentos.
(óh a desculpa para viajar cada vez mais...)
Enfim, recebi a confirmação que a Deborah iria estrear na rádio pela primeira vez no Brasil com a faixa Adding water to the ashes por email, e nele estava escrito: "uma das suas metas para o primeiro semestre de 2009 foi atingida, você já pode riscá-la".
Como assim metas?? Primeiro semestre de 2009?? Da onde??
Então lembrei de uma postagem antiga "My bed in os fire" na qual cito metas a curto prazo:
1.Meio Ironman em Março – Tudo pronto, viajo para Caiobá neste sábado pela manhã e domingo faço a prova...
2. Intensivo com Manju Jois em AbrilConfirmadíssimo, vários inscritos, maior agito... Marza fotógrafa oficial.
3. Colocar o CD da Deborah Crooks na programação da Itapema.
4. Participar de um workshop do Sharath Rangaswami - Inscrição concluída para maio em San Francisco.
5. Fazer 30 anos na Califórnia - Passagem na mão!!
6. Conseguir juntar grana para o item 4 e 5 - Deixando de lado alguns luxos extras, estou conseguindo...
Depois disso tudo cogito a possibilidade de escrever um livro...
Enfim, acho que entendi porque me sinto assim... assim... de uma maneira tão difícil de explicar por palavras. Todas as metas estão encaminhadas da melhor maneira possível, tudo fluindo harmoniosamente bem, porém, a maioria ainda não aconteceu de verdade.
Stand by... acho que é como me sinto, mantendo minha energia nessas metas até que elas se concretizem realmente e eu possa então movimentar o fluxo e colocar pensamento, palavra e ação em novos focos.
Só quando realizamos um sonho é que devemos estabelecer outro... quando acreditamos em nós mesmos e na possibilidade de concretizar aquilo que queremos nossa energia movimenta no lugar certo... e aí não tem jeito, só alegria e realização - com paciência, sabendo que tudo tem seu tempo e hora para acontecer - discernimento.
Agora é curtir cada realização, sem expectativa em cima dos resultados... apenas viver, livre!!
E, começar a cogitar possibilidades para novas metas, quem sabe escrever mesmo um livro, cursar uma nova faculdade, fazer um filme, um novo esporte...
Vai saber...

I'm pure in my thoughts, I'm alive.

On bended knee is no way to be free
Lifting up an empty cup, I ask silently
All my destinations will accept the one that's me
So I can breathe...
Circles they grow and they swallow people whole
Half their lives they say goodnight to wives they'll never know
A mind full of questions, and a teacher in my soul
And so it goes...
Don't come closer or I'll have to go
Holding me like gravity are places that pull
If ever there was someone to keep me at home
It would be you...
Everyone I come across, in cages they bought
They think of me and my wandering,
but I'm never what they thought
I've got my indignation, but I'm pure in all my thoughts
I'm alive...
Wind in my hair, I feel part of everywhere
Underneath my being is a road that disappeared
Late at night I hear the trees, they're singing with the dead
Overhead...
Leave it to me as I find a way to be
Consider me a satellite, forever orbiting
I knew all the rules, but the rules did not know me
Guaranteed...
Eddie Vedder

15 de mar de 2009

Guardiões do Mar

Campanha de defesa as Focas

Sabe quando você pára com o carro no semáforo (sinaleira, farol, sinal ou como quiserem) e é atacado por um bando de pessoas entregando flyers sobre novos empreendimentos imobiliários; oficinas; lojas de departamento; promoção de supermercado e outras tantas coisas banais... que só servem para gastar papel e sujar a rua.
Cansada de dizer “não obrigada” para os entregadores, que não fazem nada além do que estão sendo pagos para fazer – torrar no sol entregando folhetinho na janela dos automóveis.
Hoje, voltando da praia em pleno domingo, fui surpreendida por um menino bonito com um bolo de folheto na mão. Quando ele se aproximou percebi um brilho diferente nos seus olhos e reconheci o papel reciclado em suas mãos. Por que não aceitar, pelo menos uma vez??
Peguei o tal folheto, bem pequeno se comparado com os demais, feito em papel reciclado com impressão nos dois lados da folha.
De um lado dizia:
Seja educado, não jogue este panfleto em via pública.
No outro lado:
Você sabe o que seu lixo causa quando é jogado na praia?
1. Garrafas e outros recipientes podem aprisionar pequenos animais;
2. Plástico, isopor, pontas de cigarro e papel são confundidos com alimentos e quando ingeridos levam os animais à morte por obstrução do aparelho digestivo, lesões no estômago ou liberação de compostos tóxicos;
3. Objetos cortantes (vidros, anzóis, blister, tampinhas) causam infecções, às vezes fatais, inclusive em humanos;
4. As coleiras circulares de tampas de refrigerantes ou garrafas de óleo, envolvem os animais quando pequenos e quando eles crescem provocam ferimentos graves. Essas coleiras foram observadas em peixes, tartarugas e outros seres marinhos.

PRESERVE A VIDA MARINHA, NÃO JOGUE LIXO NA PRAIA
http://www.seashepherd.org.br/

Bonita iniciativa!! provavelmente ele não estava ganhando nada com isso, me refiro financeiramente, claro. Ele estava apenas defendendo uma causa, lutando pela vida de pequenos e indefesos animais que dificilmente conseguem sobreviver com a inconsciente ação humana.
Espero que ele consiga fazer com que outras pessoas se sintam comovidas assim como eu.

12 de mar de 2009

Freedom time, you know??

Só para complementar...

Get free, be who your supposed to be, freedom, said it's FREEDOM TIME NOW, freedom, said it's freedom time, freedom, freedom time.(LAURYN HILL)

Rebele-se

Neste próximo sábado vou a um Casório muito legal!! É um casal de amigos que conheci em San Francisco e tive o prazer de ter convivido com a história de amor deles...vai ser muito engraçado revê-los depois de tanto tempo - casando. Mas a senhorita noiva, em 2002, me apresentou um CD da Lauryn Hill que até hoje tenho arrepios quando ouço aquelas músicas naquela voz rouca. O interessante é que só agora eu realmente entendi ou absorvi a idéia de uma música chamada "rebel". Não que eu não entendesse as palavras em si, mas agora entendo bem mais além das simples palavras. Talvez eu tenha passado ou esteja passando por alguns "processos" parecidos com a da compositora, e a minha vontade de gritar Rebel, cresce a cada dia...vou anexar apenas a tradução de alguns trechos...

"Porque meus próprios olhos podem ver,
Através de suas falsas pretensões.
Mas o que você falha em ver,
São todas as conseqüências.

E enquanto as pessoas dormem,
Confortáveis demais para encarar.
Sua vida é tão incompleta
E nada pode substituí-la.

E o que eu tenho a dizer,
e o que eu tenho a dizer, é rebele-se.
Enquanto o dia ainda é hoje, escolha bem.

E o que eu tenho a dizer, é rebele,
Isso não pode acabar assim.
Escolha bem...

E enquanto as pessoas dormem,
Confortáveis demais para encarar
Sua vida é tão incompleta,
E nada, e ninguém pode substituí-la.

E o que eu tenho a dizer,
É rebele-se...
Arrependa-se, o dia está longe de acabar.
Rebele-se!

Acorde
Acorde e se rebele.
Nós devemos destruir para que possamos reconstruir.
Acorde sua mente dessa forma.

Você está satisfeito?
Rebele-se.
Porque você não se rebela?"

11 de mar de 2009

Já chegou no topo. Agora vá além...


"SE NÃO TIVESSE SIDO INCONSEQUENTE NÃO TERIA

CHEGADO ONDE CHEGUEI"


Maya Gabeira, maior surfista de ondas gigantes do mundo

Escrevendo as postagens anteriores, na qual falava de coragem e sonhos, lembrei de uma reportagem na revista da Gol com Maya Gabeira, filha do deputado Fernando Gabeira, que além de apoiá-la na trajetória do surfe recomenda, "meus únicos conselhos são que continue a fazer Yoga e que só entre na água para enfrentar ondas se realmente estiver se sentindo bem".
Maya é surfista profissional, mora no Hawaii e vive pelo mundo em busca de ondas não apenas perfeitas, mas gigantes.
A reportagem mexeu muito comigo na época, e relendo hoje, fiquei mais impressionada ainda. Uma menina de 21 anos, solta pelo mundo, vivendo com intensidade e devoção cada momento. Na entrevista Maya fala coisas do tipo:
"A solidão te traz auto conhecimento e para se conhecer bem você tem que estar legal espiritualmente. Tem que gostar de si próprio".
Com muita determinação, diz que para evoluir terá que se expor um pouco mais, e sem se intimidar relata que se não tivesse sido inconsequente não teria chegado onde chegou...
Menina de coragem, não só acredita nela como também no poder dos seus sonhos, foi buscar e encontrou... sem se acomodar continua na busca de ondas, de evolução e de si própria.
Virei Fã!!

Sonhou com o que hoje?





...Que seus sonhos se

encontrem com a realidade...



Blues da piedade

Restaurante indiano em Amsterdam, onde não fomos medíocres em nenhum momento!!

Julho de 2008, São Paulo.
Eu passava uma temporada na Babilônia, produzindo o Yoga pla Paz, um dos maiores eventos de Yoga da América Latina, quando me dei conta do enorme salto que havia dado na minha vida... não estava muito feliz, confesso... longe do triatlon, das aulas de Yoga, ar puro e a tranquilidade de Floripa. Entretanto, me sentia satisfeita e realizada com o que estava acontecendo.
Adrenalina do evento chegando, logo após viria a viagem para Amsterdan e Índia, entre tudo isso uma tatuagem marcaria minha pele como símbolo de um ano cheio de vai e vem e loucura.
...em uma daqueles conversas filosóficas sobre a vida, no qual buscamos explicações para tudo...
Cris Rosauro, super amiga e na época minha sócia na Shanti Happens (uma das empresas responsáveis pela produção do evento) diz uma frase que mudaria muita coisa daquele momento em diante:
- A única certeza que tenho é que não quero ter uma existência medíocre!!!!
Fiquei dias pensando na palavra medíocre, revendo e avaliando os fatos... então concluí que basta ter coragem. Coragem de encarar as situações; viver os acertos; aceitar os erros e aprender com eles; coragem de dizer que ama ou que não gosta tanto assim; coragem para mudar e abrir o coração para o novo; de encontrar a fama e voltar para o anonimato; coragem para assumir seus gostos e aversões e aprender a lidar com eles... Emfim, para não viver na mediocridade basta ter coragem!!
Agora eu vou cantar pros miseráveis
Que vagam pelo mundo derrotados
Pra essas sementes mal plantadas
Que já nascem com cara de abortadas
Pras pessoas de alma bem pequena
Remoendo pequenos problemas
Querendo sempre aquilo que não têm
Pra quem vê a luz
Mas não ilumina suas minicertezas
Vive contando dinheiro
E não muda quando é lua cheia
Pra quem não sabe amar
Fica esperando Alguém que caiba no seu sonho
Como varizes que vão aumentando
Como insetos em volta da lâmpada
Vamos pedir piedade
Senhor, piedade
Pra essa gente careta e covarde
Vamos pedir piedade
Senhor, piedade
Lhes dê grandeza e um pouco de coragem
Composição: Roberto Frejat e Cazuza

9 de mar de 2009

Mulheres

By Marza Tozo

Aih essa TPM que não me deixa escrever direito, faz brotar erupções acnéicas na minha face, não me deixa escolher uma roupa que preste pra curtir o rock n´roll, faz nascer uma barriga saliente (que já existia, mas preciso dizer que a culpa não é minha), me obriga a comer uma barra de Shot inteirinha, faz eu me envenenar com a raiva, faz surgir pessoas "incovenientes" na minha frente o tempo todo, faz com que eu odeie meus clientes, faz com que a minha cabeça tenha sensations horripilantes e encurta meu pavio ao máximo. Menos mal que mês que vem pode ser tudo diferente. E como tudo tem seu lado bom, a libido fica em perfeita sintonia, a feminilidade brota lá de dentro e faz lembrar que faço parte da natureza sim!!

Parabéns mulherada pelo seu dia de ontem!! E por favor vamos batalhar pela redução de nossa jornada de trabalho!! Queimaram sutian pra deixarmos de ser submissas e não trabalhar dobrado e sofrer pressões do tipo melhor no trabalho, em casa, no fogão, na cama, no espelho, na criação!!

" (...) Oh, sobretudo
Que ela não perca nunca, não importa em que mundo
Não importa em que circunstâncias, a sua infinita volubilidade
De pássaro; e que acariciada no fundo de si mesma
Transforme-se em fera sem perder sua graça de ave; e que exale sempre
O impossível perfume; e destile sempre
O embriagante mel; e cante sempre o inaudível canto
Da sua combustão; e não deixe de ser nunca a eterna dançarina
Do efêmero; e em sua incalculável imperfeição
Constitua a coisa mais bela e mais perfeita de toda a criação imunerável." (Vinícius de Moraes)

6 de mar de 2009

Os acomodados que se encomodem

Sexta à noite, enquanto eu (re) assistia Into the Wild, um dos filmes que mais marcaram minha vida, o globo repórter falava algo sobre, radicais livres, triatletas e algumas dicas – sinceramente não sei sobre o que se tratava a reportagem, não assisto a globo por uma questão de integridade, sou totalmente contra a influência que ela exerce sobre a cultura do nosso país.
Logo que acordei no sábado, fui para o treino e enquanto preparava o equipamento, uma amiga chegou empolgada comentando sobre o programa da noite anterior... houve aquele alvoroço, todos falando ao mesmo tempo, expressando opiniões ou simplesmente soltando palavras ao vento.
Chá de erva-doce, canela e semente de mostarda é a solução antienvelhecimento para os praticantes de Triatlhon.
A manhã passou voando, entrei no mar às 7h, depois pedalei e com o termômetro marcando 32 graus, em pleno sol de meio dia, sai para correr. Cheguei pedindo sombra, água fresca e porque não o tal chá antioxidante que nossa queridinha emissora indicou? Afinal precisava recuperar as perdas que horas de treino causaram no meu corpo.
Fomos para o Quintal da Ilha, uma espécie de quitanda que vende produtos orgânicos e demais especiarias naturebas... quando solicitamos os ingredientes, a atendente muito séria e até assustada perguntou o que estava acontecendo.
- Vocês acabaram com meu estoque só esta manhã, é para alguma ocasião especial? Nunca recebi tantos atletas ao mesmo tempo...

Olhem só o poder que a Globo têm sobre nós, o perigo que é a pureza das informações passadas por ela. Aquela história de novela das oito, BBB e outros programinhas que banalizam o natureza de ser ‘ser humano’...
Me perdoem os que gostam, respeito todas as classes, raças e crenças... são apenas opiniões sinceras de alguém, que mesmo sem assistir e apesar de evitar, cai na alienação global.
Aderi a dica do chá!!

Suspenderam Os Jardins da Babilônia
Eu prá não ficar por baixo
Resolvi! Botar as asas prá fora
Porque!
"Quem não chora dali"
"Não mama daqui"
Diz o ditado
Quem pode, pode
Deixa os acomodados
Que se incomodem...
Minha saúde não é de ferro não
Mas meus nervos são de aço
Prá pedir silêncio eu berro
Prá fazer barulho Eu mesma faço
Ou não!
Rita Lee

4 de mar de 2009

Sociedade, você é uma raça louca...

"&autoplay=1"

Estava escrevendo qualquer coisa sobre como me sinto vivendo no meio 'disso tudo'... então lembrei de uma postagem antiga e fui procurá-la: Percebendo Padrões, dezembro de 2008. Melhor que escrever é indicar que releiam a postagem ouvindo a música deste vídeo.

Assista o filme Into the Wild, emocionante e inspirador com fotografias incríveis; Ouça o CD com a trilha sonora, na belíssima voz de Eddie Vedder do Pearl Jam; Leia o Livro, com os relatos do alpinista e escritor Jon Krakauer.

SOCIETY

It's a mystery to me
we have a greed
with which we have agreed

You think you have to want
more than you need
until you have it all you won't be free

Society, you're a crazy breed
I hope you're not lonely without me

When you want more than you have
you think you need
and when you think more than you want
your thoughts begin to bleed

I think I need to find a bigger place
'cos when you have more than you think
you need more space

Society, you're a crazy breed
I hope you're not lonely without me
Society, crazy and deep
I hope you're not lonely without me

There's those thinking more or less less is more
but if less is more how you're keeping score?
Means for every point you make
your level drops
kinda like it's starting from the top
you can't do that...
Society, you're a crazy breed
I hope you're not...

Será que já sou uma mocinha?

by Marza Tozo

Lembro bem quando era criança de ouvir minha mãe me dizer: 'Kaká, você já é bem grandinha para arrumar sua cama... onde você pensa que vai, hoje a louça é sua'. Na época achava o máximo saber que estava virando uma mocinha.
Até que um belo dia, disse que estava gostando de um menino... e o que eu ouço: 'Kaká, você só tem 15 anos, ainda é muito novinha para pensar em namorar. Se teu pai te pega'. Imagine só o que foi entender que oras eu era bem grandinha e ao contrário muito novinha...
Enfim, acredito que isso não tenha causado muitos problemas na minha educação, até porque sempre tive apoio para as maluquices que inventava. O combinado era simples, se eu fosse uma menina comportada o resto era pura aventura.
Ganhei uma mobilete sem encostar os pés no chão, com ela carimbei todos os muros da vizinhança e ganhei muitas cicatrizes. Depois entrei na fase do Mohey Boog, o pai me levava para Ferrugem, Siriú e Guarda do Embaú - era quase em busca das ondas perfeitas... nadava no rio e passava a noite no barco pescando.
Para minha surpresa, foi chegando o inverno e ganhei de aniversário um skate rosa, com joelheiras e capacete para amortecer as quedas.
E assim eu fui crescendo, me comportando e ganhando apoio nas novas empreitadas, que incluíram desde viagens a escolhas profissionais. Algumas poucas ideias meu pai não foi muito receptivo, e foram exatamente essas que não deram certo - que irônico! Lembro de ouví-lo falar: 'mas vamos lá Kaká, ver no que isso vai dar... lá na frente agente conversa e você vai me dar razão'. Assim falava a voz da experiência...
Hoje parei em frente a televisão, o filme me chamou a atenção e a cena era uma menina falando para seu amigo: 'quando somos crianças nossos pais nos incentivam a correr atrás dos nossos sonhos; já quando viramos adultos, só de citar a palavra sonho já geramos um ar de reprovação'.
Sai para correr sorrindo e satisfeita pelo apoio que recebi todos esses anos... ao mesmo tempo reconheço que a menina do filme tem toda razão... a sociedade em si nos impõe expectativas demais, isso gera medo e insegurança nos pais fazendo com que se preocupem com nosso futuro.
Como diria Renato Russo: 'são crianças como você, o que você vai ser quando você crescer...'
O que diferencia as crianças dos adultos é basicamente os anos a mais nesta vida e a influência que ambos tiveram da sociedade na formação de suas personalidades.

2 de mar de 2009

Não tem preço...

by Marza Tozo

Na vida tudo tem seu preço, pois sempre temos que fazer escolhas: ou casamos ou compramos bicicleta, ou vivemos o presente ou pensamos no futuro, ou depilamos com cera ou com gilete, ou trabalhamos ou viramos hippie, ou somos felizes ou não, ou fazemos isso ou aquilo, ou é assim ou assado...e assim levamos a vida, pagando alguns preços para realizar alguns desejos...sem pagar alguns preços realmente a vida não teria graça e deixaríamos de aprender um monte de coisa sobre o mundo e principalmente sobre nós mesmos. Mas o que eu quero realmente dizer é que tem coisas que NÃO tem preço algum, ou seja, é superior a todo preço ou valor despendido...acordar as 6:30 da manhã de uma segunda feira, praticar yoga com a super professora Kaka com vista pra Lagoa da Conceição e voltar pra casa ouvindo Peter Tosh, não tem preço...mesmo que o trânsito queira impor o seu preço...como é bom ver coisas que não tem preço nessa vida!!!

1 de mar de 2009

ILHA TEM LIMITE

tubarão

cuidado, ele pode te engolir!

e se transformar em bomba atômica


by Marza Tozo

Gostaria de falar um pouco sobre o nosso querido Lado B - Floripa. É num feriado prolongado como o de Carnaval que volto a perceber que a nossa "Ilha Maravilhosa" cresceu, e muito, nesses últimos 10 anos. Há 9 anos eu partia para San Francisco com um pavor de Floripa, pois nada acontecia e todo mundo se conhecia. Como a Ilha mudou! Já não conheço todo mundo, assisto mais shows internacionais e vejo que ela está quase afundando de tanta gente e empreendimentos imobiliários. Bom, esse assunto de mudanças vai longe e não vou ficar aqui lamentando aqueles estacionamentos horrosos da Praia Mole. Mas, hoje em dia, estou começando a amar esse lugar cheio de "estrangeiros" e "estranhos" e até levantar a bandeira ILHA TEM LIMITE. Não porque agora a cidade foi comparada até com Ibiza na Espanha, como uma das melhores baladas do mundo pelo jornal New York Times. Ou porque escuto inglês, italiano, espanhol e português de Portugal numa tarde na Lagoa. Ou ainda porque no sábado de Carnaval eu me sinto totalmente na Castro (bairro super gay em San Francisco).
Talvez eu tenha começado a perceber melhor a cidade devido a minha busca pela libertação, em todos os sentidos. Talvez porque eu tenha que ser feliz agora, não importa onde. Ou porque Floripa é realmente demais. Ou ainda porque a mídia conseguiu me convencer que Floripa será a Cidade Maravilhosa II. Enfim, acredito mais na primeira opção, libertação. Pois o bom da libertação é que provamos coisas novas sem muito stress e coisas antigas como se fossem novas...o que quero dizer é que provamos de verdade coisas que antes tínhamos algum medo ou apenas receio de realizá-las...mas como ainda estou bem no início do meu processo de libertação (nem que seja o simples fato de tê-la como objetivo) provo também as coisas mais terrenas, conseqüentemente alguns cravings dessa vida básica.

Conclusão: voltei a curtir Floripa profanamente e intensamente como se fosse qualquer outro lugar do Lado A. No domingo de Carnaval contemplei o céu como nunca tinha feito antes e tirei muitas fotos pra ter certeza, no outro dia, que eu realmente tinha visto aquele céu e que ninguém tinha colocado alucinógenos na minha bebida...ou tinha??

Maria Parafina


Acho que temos fotos demais com cerveja na mão...
Fui procurar algo mais 'sério' e acabei encontrando essa:
Garopaba, 1999.
Garota eu vou prá Califórnia viver a vida sobre as ondas
Vou ser artista de cinema, o meu destino é ser star...
O vento beija meus cabelos, as ondas lambem minhas pernas
O sol abraça o meu corpo e meu coração canta feliz...
Eu dou a volta, pulo o muro, mergulho no escuro e sarto de banda
Na Califórnia é diferente, irmão é muito mais do que um sonho...
De repente California
Lulu Santos e Nelson Motta