Quem somos

26 de fev de 2010

Perfeita..

"A paz que você procura,

está no silêncio que você não faz"

Bazar do Guga

Uma das coisas que eu mais gosto em San Francisco são os doidinhos circulando por todos os lugares... Adoro e me divirto muito com eles - sempre tão originais!

Quando volto para o Brasil sinto falta deles... porém hoje conheci o Guga, que além de me fazer matar a saudade das maluquices urbanas de San Francisco me fez perceber que tem maluco pra tudo.

Guga é um morador do bairro Corrégo Grande, toda a vizinhança conhece.. alguns gostam, outros adoram.. alguns o chamam de malcriado, uns ligam para a Prefeitura para catar ele da rua.. e assim vai, as opiniões são diversas... e enquanto isso ele continua fazendo amigos, inimigos e muito agito pelo bairro.
Domingo passado foi o dia do "Bazar do Guga"!!
Ele chegou com uma plaquinha de bazar, aportou na calçada e dos sacos começou a tirar os produtos para vender: caixas de remédio vazias; luvas usadas com tinta de cabelo; restos de tinta; pote vazio de esmalte; frutas passadas do ponto... e todas as coisas que se acha no lixeiro de uma farmácia, salão de beleza e armazém de bairro.

É por esses e tantos e outros malucos que eu me considero "just a little crazy".

Corpos enciborgados



Corta para hoje. Religião não cola mais. No ocidente, muita gente ainda vai aos templos. Mas quantos acreditam mesmo naquilo tudo? Nos rituais? Aposto que muito poucos. A maioria vai por hábito, comodismo ou por um sentimento de “na dúvida, deixa eu me garantir”. Então, se a ideia da vida eterna não convence, a obsessão pelo corpo, em oposição à alma, cresce. Se você não é mesmo imortal, vai tratar de prolongar a vida, começando pela adolescência, que agora vai até os 30 e poucos, e evitar o quanto puder a velhice, antes respeitável e agora desprezível. Será preciso então se cuidar, fazer esporte, se alimentar bem? Sim, mas você pode se agarrar na tecnomedicina, que promete para breve uma quase infinita sobrevida aos corpos, enciborgados pela troca de peças defeituosas por outras, novas, eletrônicas, silicônicas ou “celulastroncamente” criadas.

Que tal, por exemplo, trocar suas lentas pernas por um par de Nike Leg Runners, mais fashion e adequadas às demandas atuais? Ou seus olhos cansados por Oakley SightSeekers, com cor customizável e visão noturna? E, quando chegarmos a esse ponto, dê-se o braço a torcer, o que fará falta será um pouquinho de Aristóteles, de Grécia, de alma. Pois será que não estaremos tentando, no fim das contas, basicamente prolongar a vida besta, vazia e consumista dos nossos corpos artificialmente excitados, bronzeados e bem torneados destes tempos contemporâneos?

*André Caramuru Aubert para Revista TRIP.
Leia o artigo completo http://revistatrip.uol.com.br/revista/184/colunas/os-gregos-e-o-silicone.html

25 de fev de 2010

Recomeçando

Talvez essa seja uma postagem que apenas eu entenda.. mas a música é muito boa - então está valendo! Espero que o que eu esteja sentindo hoje seja apenas uma forte TPM, nada demais... e se for o que eu estou pensando, nem sei se quero que seja verdade...


Come up to meet you, tell you I'm sorry
You don't know how lovely you are

I had to find you
Tell you I need you
Tell you I've set you apart

Tell me your secrets
And ask me your questions
Oh, let's go back to the start

Running in circles
Coming up tails
Heads on the science apart

Nobody said it was easy
It's such a shame for us to part
Nobody said it was easy
No one ever said it would be this hard

Oh take me back to the start

I was just guessing
At numbers and figures
Pulling the puzzles apart

Questions of science
Science and progress
Do not speak as loud as my heart

Oh tell me you love me
Come back and haunt me
Oh and I rush to the start

Running in circles
Chasing our tails
Coming back as we are

Nobody said it was easy
Oh, it's such a shame for us to part
Nobody said it was easy
No one ever said it would be so hard

I’m going back to the start

Oh ooh ooh ooh ooh


21 de fev de 2010

Dance incontrolavelmente

"A vida é curta portanto, quebre regras,
perdoe rapidamente, beije demoradamente,
ame verdadeiramente, ria incontrolavelmente,
e nunca deixe de sorrir, por mais estranho que seja o motivo.
A vida não pode ser a festa que esperávamos,
mas enquanto estamos aqui, devemos dançar.."

Fernando Pessoa

20 de fev de 2010

Muito pouco, será?


Pronto
Agora que voltou tudo ao normal
Talvez você consiga ser menos rei
E um pouco mais real
Esqueça
As horas nunca andam para trás
Todo dia é dia de aprender um pouco
Do muito que a vida traz.

Mas muito pra mim é tão pouco
E pouco é um pouco demais
Viver tá me deixando louca
Não sei mais do que sou capaz
Gritando pra não ficar rouca
Em guerra lutando por paz
Muito pra mim é tão pouco
E pouco eu não quero mais

Chega!
Não me condene pelo seu penar
Pesos e medidas não servem
Pra ninguém poder nos comparar
Porque
Eu não pertenço ao mesmo lugar
Em que você se afunda tão raso
Não dá nem pra tentar te salvar

...veja
A qualidade está inferior
E não é a quantidade que faz
A estrutura de um grande amor
Simplesmente seja
O que você julgar ser o melhor
Mas lembre-se que tudo que começa com muito
Pode acabar muito pior

Moska

19 de fev de 2010

Boicotada pelo blog?


"I'm selfish, impatient and a little insecure. I make mistakes, I am out of control and at times hard to handle. But if you can't handle me at my worst, then you sure as hell don't deserve me at my best."

Ontem me dei conta que fui boicotada pelo meu próprio blog... mais ou menos assim: ou o cara é O cara e não se incomoda com o que escrevemos; ou ele não pode de maneira alguma ficar sabendo que o blog existe - tipo não adicionar gatinhos, por favor; ou ele lê e sai correndo.
Vou ficar na opção 1, não liga, ou melhor adora o que postamos... pois como disse nossa deslumbrante "Yoguini" ai de cima: ou ele aguenta ou não merece!

17 de fev de 2010

Saudades da Roomie

BOA VIAGEM em todos os sentidos!!

(essa frase estava no bilhete de despedida que a Marza deixou encima da minha cama)


Fugi de casa, fui dormir fora... não iria conseguir me despedir da inseparável senhorita little crazy Marza Tozo. Uma vez ela me deixou sozinha na índia, agora é a vez dela viver os samsarões sola.

Muitas viagens em muitos sentidos para todas nós, sempre!!

Que tudo na nossa vida represente um viagem.. e que possamos sempre escolher livremente o momento de chegar, experienciar e partir... cada destino, trelelê, loucura e emoção.


16 de fev de 2010

Os porquês dessa vida...nascem exatamente no mesmo dia que a gente nasce...e nunca mais vão embora...


Como responder a seguinte pergunta para uma criança de 4 anos (o mesmo que me afirmou que cavalos só existem de mentira) que está em crise de saudade do pai que está viajando a trabalho e que não quer ir para a escola de jeito nenhum: "Por que minha mãe não trabalha e meu pai fica em casa? Por que os meninos tem que trabalhar?" Bom, deixa eu pensar...porque a sociedade, copiando a natureza dos animais, sempre achou que os homens eram mais fortes e tinham que fazer o trabalho braçal, ou seja, trazer o sustento para casa, garantir a comida para todos...as mulheres como carregam os bebês na barriga e amamentam seus filhos por vários meses não podem trabalhar fora e ficam em casa também cuidando do sustento da família, mas de outra forma e também cuidando da organização da casa. E ainda porque as mulheres não podem 'dar mole' por aí, se não outro homem pode levá-la embora...isso tudo é raridade nos dias de hoje, mas ainda podemos encontrar esse tipo de organização familiar como é a sua. Talvez quando você tiver a idade do seu pai, você estará esperando sua mulher com o jantar na mesa, pois ela ganha muito mais que você, então você não precisará trabalhar fora e vai poder brincar com seus filhos o dia todo. Novas pesquisas científicas indicarão que a mulher possui muito mais força interna, que é o que importa(rá) no futuro próximo, já que a tecnologia veio para ficar e fazer a gente não necessitar tanto de nossos músculos e consequentemente não precisar tanto da força externa, entende?! Você ainda precisará exibir um corpo forte e bonito, tanto para sua saúde quanto para seu ego quanto para seu sexo (o que nunca deixará de existir, pelo menos assim eu espero). Então enquanto isso não acontece, você continua esperando seu pai chegar de viagem, pois se você espera ele chega!!
Estávamos atrasados para ir para escola e essa resposta passou como um flash na minha cabeça e respondi apenas que era assim mesmo, seu pai tem que trabalhar para você ter essa casa, seus brinquedos, pagar a escola e seus snacks. Ele pensou e aceitou e disse: 'A escola é mau!'...ok mais uma super explicação teria que se formar...

15 de fev de 2010

Confundida de novo


A lua é do poeta, mas a noite é nossa
Nossa, nossa, nossa...
O fogo tá bonito, mas é perigoso
Gozo, gozo, gozo

Bateu de frente, encarei na boa
Pra me chamar tocou tambor
Feitiço, pega a gente.

Cantou bonito, pousou de serpente
Um acorde perfeito, um beijo de repente

O amor afinado à fogo, é fogo, é fogo.
Cega, suga, sangra
mexe, morre, mancha

O amor afinado à fogo, é fogo, é fogo.
Cega, suga, sangra
mexe, morre, mancha

Noites, e noites, e noites, e noites, e noites...

Se..

... meu coração pensasse
ele pararia!!

"E tudo quanto faço, tudo quanto sinto, tudo quanto vivo, não será mais que um transeunte a menos na quotidianidade de ruas de uma cidade qualquer."
Fernando Pessoa

Finalmente consegui fazer em Florianópolis aquilo que eu só fazia nas viagens. Será um upgrade no processo de libertação? Parece que sim... O mais interessante de tudo é que a energia da cidade começou a fluir a meu favor também.
Nada como aceitação e foco para potencializar nossos objetivos (nas ruas de uma cidade qualquer).

13 de fev de 2010

A letter that I never sent...


I’m writing all that but the truth is I haven’t decided yet whether send it or not. This bunch of words is just thoughts, feelings and sure a lot of emotions which are hard to share and it’s pretty much mine!

I can easily say the reason I’ve been connected on you for such a long time. The day we met for the first time I had a lot of fun; you were great and very successful corrupting me. The way you carried on the whole situation plus all the challenge it represents to me, of course I ended up in love.

Well.. It happened awhile ago, I don’t see many reasons to mention all that again. The fact is since that day until now I couldn’t spend a day without thinking of you. I must admit that I tried to take you out of my mind many times… but one of the most difficult things I`ve learned in my life is to take out of the mind what is in the heart.

For this long time you are in an untouchable place inside of me, so deep that I can’t access and remove, even if I wanted. In this point I kind of lost control, for the first time I cannot dominate it… and maybe this is what I like the most, an unknown situation that I have to go through.. your world is so mysterious to me. I never know what to do, to think, where to go, what to say… it’s all new and very very hard!

I’ve been learning a lot with this, waiting for a phone call, an email.. any sign that would say you are thinking of me somehow. But the phone never rang and you never came! I keep asking myself why?? And I don’t want to hear the answer I have ‘he doesn’t like you.. you must give up’. It’s tough to accept but should be the truth!

Its sounds insane to me, I barely know you… it feels there is a fight between my mind and heart. Every time I try an action to talk to you my mind keeps saying that I should not do it, but at that time my heart yells louder and I can’t avoid – if you are reading this letter, that was my tireless heart in one more tentative to accomplish something that I don’t know what it is… I can’t explain.

Finally, I’m telling you all this because I believe you must know how special you can be in someone’s life and when you fall in love again, please go for it – that’s the beauty of life, learn about yourself through another… we can do much when we are together. I tattooed in my mind how would be a relationship with you… but there is a world of differences between us and let it go seems to be the safest place for both of us. It’s sad and it is my conflict.. my mind wants that, but my heart wants to take care of you, share the moments, smiles, tears and everything, keep trying to be with you… and well, you already told me that I don’t have place in your life, so I should follow my mind.

Anyway, I never expected anything… always enjoyed every moment as if it was the last… maybe that was my biggest mistake, my heart was always tight and scared of not been with you again. But mistakes are part of our nature.. and I’m sure you have made yours.

I would like to thank you to opened my heart and helped me to see the opposite side of been in love, how I make a man feels. Definitely it was very important for a 30 years old ‘little crazy’ woman. I’m changing the scenery of my life and probably in this new version you will be an especial friend, and I’ll hope to see you so many times more, here or anywhere.

All that I’m saying here, since the beginning until the very end of it, is all good, really good. Keep showing your true essence, because that was what I saw in you.

I know it looks foolish and you might be asking yourself “what the hell”… you are probably right, it’s all about me, my feelings and somehow I put you on this, and as I’ll be gone in a couple of weeks I needed to let you know that. Sorry if it looks silly or a waste of time, I just like to express my feelings...


I started this letter a few weeks ago and never finished.


12 de fev de 2010

Hey Ya!!






Tô arrasada!!!
Mergulhada nesse samsarão de decisões... ontem achei que pelo primeira vez eu fosse jogar as escolhas para o Céu e aquela que fosse a melhor alternativa cairia de volta nas minhas mãos. Mas acho que eu estava errada, mais uma vez terei que tomar uma super decisão - que saco!!!
Fiquei cabeçuda e nada como algumas horas no dance floor para relaxar o processo... decisão tomada... agora preciso agir - que saco de novo!!

(dá uma olhadinha especial no carinha de verde dançando lá atrás e na menininha de roxo - muuito bons!!)

11 de fev de 2010

Previsível, Eu??


Outro dia percebi o quanto nós, seres humanos, somos previsíveis. Incrível!!
Quando estamos conectados então, caramba.. dá para adivinhar todos os próximos passos. Aqueles velhos padrões básicos.
Algumas semanas antes de voltar escrevi uma carta para "alguém que não deveria escrever" e nunca mandei a carta. Logo depois decidi jogá-la fora... mas então pensei: ah melhor deixar guardada está tão bonita. Com certeza lá no fundo eu sabia que uma hora ele receberia essa carta. Claro que eu vou mandar né, afinal escrevi pra que!!
São tantos padrões que a gente até se confunde as vezes, acha que é intuição, que tem bola de cristal e coisa assim... antes de voltar recebi alguns conselhos do tipo "só não vai se apaixonar de novo Kaká". Lá no fundo eu sabia, queria e sabia que queria mais era me apaixonar mesmo. Aliás, não tem nada melhor que isso.
E claro, na última semana rolou um trelelê gostoso... não deu para apaixonar, mas posso dizer que segui o padrão ou será que meus amigos me conhecem tão bem assim?
Prefiro me considerar previsível mesmo... assim como todos nós somos!
A gente sempre sabe a comida que vai fazer mal; a amiga que é falsa; o que não vai dar certo; o gatinho que não presta; aqueles assuntos e pessoas que a gente enterra e sabe que um dia vai ter que cavar para resolver o que ficou para trás... sabemos, mas mesmo assim mergulhamos fundo no samsarão, só para dizer depois "ah, sabia que isso iria acontecer".

Tem uma página no facebook que se chama: When DRUNK, My phone should say, "Are you sure you want to send this text?" (quando bêbada meu telefone deveria dizer, "Você tem certeza que quer enviar essa mensagem?"
Se a gente já sabe que corre o risco de fazer cagada quando está doidona, nem pega o telefone então... difícil é usar essa regra para quem já se libertou de muitos e muitos padrões na vida... a gente manda mensagem - manda a tal carta - e no final se receber resposta ou não, sofre - sorri e chora ao mesmo tempo, mas nunca se arrepende do que fez!

previcível + em busca de libertação = little crazy



O seu caminho..




O que for a profundeza do teu ser, assim será teu desejo.
O que for teu desejo, assim será tua vontade.
O que for tua vontade, assim serão teus atos.
O que forem teus atos, assim será teu destino.

Brhad Aranyaka Upanisad, IV: 4,5

Tudo virado!



Cheguei!!
Quero dizer, fisicamente estou no Brasil... agora quando vou chegar com o pensamento e o coração não faço a menor ideia.
Chegar com o corpo é sempre muito fácil - ele adora o calor e a disponibilidade de praticar muitos esportes e comer bem. Aterrizar o pensamento é mais difícil, porém possível levando em consideração as vantagens de estar aqui e os planos para um futuro - a longo e curto prazo.
Enfim... agora chegar com o coração... esse desembarcou em San Fran em 2001 e nunca mais saiu de lá. Não tem jeito, definitivamente posso dizer que eu vivo a famosa frase "I left my heart in San Francisco".
E quanto a isso tudo bem... assim tenho certeza que voltarei muitas vezes lá.

Gostaria de falar mais abertamente sobre a experiência de voltar, porem ainda não digeri o processo. Estou feliz de estar aqui, reassumir minhas responsabilidades, rever amigos e família e curti a "Ilha da Fantasia" - e olha que ela está boa heim.. cheia de gatinhos, umas baladas mais alternativas, pessoas bronzeadas e coloridas por todos os lados, shalinha, vestido, biquini, praia, sorrisos e olhares - acho que amo tudo isso.
Por outro lado, feijoada do Cacau, peixada do Gui, show da Beyonce, transito e outros detalhes que, com todo respeito, eu odeio. Bom, perfeição agente já sabe que não existe mesmo... e dessa vez eu estou mais madura para ignorar tudo isso e viver aquilo que eu considero realmente bom.
Chegar no auge do carnaval também é engraçado, estou num ritmo bem diferente e me sinto um peixe fora d`agua. Recebi uma mensagem perguntando se eu gostaria de colocar o nome na lista de uma balada no Costão do Santinho na segunda e outra no P12 da terça... ai, será?????
Acho que não encaixa, mas também não custa tentar... decidi sair do padrão e aceitar.

Não sei como terminar essa postagem, ela é definitivamente uma página de um diário pessoal. Estou me perguntando o porque de escrever tudo isso... talvez para justificar a minha ausência, abandonei o blog nessas últimas semanas.
Embarcar para o Brasil foi intenso, assim como foi minha última semana lá e minha primeira aqui... quem sabe logo eu consiga expor mais claramente meus sentimentos e emoções. Enquanto isso fico desfazendo malas, cuidando do novo schedule e esperando a chuva passar.

Quando eu cheguei tudo, tudo
tudo estava virado
Apenas viro me viro
Mas eu mesmo viro os olhinhos

Só entro no jogo porque
Estou mesmo depois
Depois de esgotar
O tempo regulamentar
...

Moraes Moreira & Galvão


6 de fev de 2010

Bye bye

"Dear San Francisco, 

I love you. My heart skips a beat when your cable 

cars rumble by. Your thick fog is a like a gentle embrace. Your golden 

gate is the bridge to my soul. You are an epicurean eden, a museum 

mecca, a shoppers sanctuary. Your nightlife excites and your 

attractions delight. I feel woozy with just one visit to your nearby 

wine country. San Francisco, I love you. When I am with you, i feel alive. You 

bring to me a happiness that no other city ever could. Your steep 

hills take my breath away. The curves of your victorians never cease 

to charm. The sound of your foghorn lulls me to sleep at night. I love 

each and every moment we share togheter, specially when i explore your 

ecletic neighborhoods, walk along your beaches, hike your headlands, 

gallivant through your expansive Golden Gate Park or take in your bridge-to- 

bridge views from downtown sky lounges. You are a city of beauty, 

elegance, grace, enchantment, diversity and acceptance. You welcome 

everyone, and in return, so many leave their hearts right here with 

you, san Francisco-just as i have. Yours truly always and forever... 

(Erín Roth. Where San Francisco magazine)


"Cara San Francisco,

Eu te amo. Meu coração palpita quando ouço os ruídos do cable car. Seu nevoeiro é como um suave abraço. Sua Golden Gate é a ponte para a minha alma. Você é um Éden epicurista, a Meca dos museus, um santuário para as compras. Sua vida noturna anima e suas atrações encantam. Sinto-me tonto, com apenas uma visita a sua região de vinhos. San Francisco, eu te amo. Quando estou com você, eu me sinto vivo. Você me traz uma felicidade que nenhuma outra cidade poderia, nunca. Suas ladeiras me tiram o fôlego. As curvas de suas casas vitorianas nunca param de fazer charme. O som do seu foghorn (sirene de nevoeiro) embala-me para dormir à noite. Eu amo cada e todos os momentos que vivemos juntos, especialmente quando eu exploro seus bairros ecléticos, caminho nas suas praias, caminho por seus

promontórios, vagueio por seu vasto Golden Gate Park ou tenho a vista das suas pontes de algum salão no topo de algum prédio do centro. Você é uma cidade de beleza, elegância, graça, encantamento, diversidade e aceitação. Recebe a todos, e em retorno, muitos deixam os seus corações aqui com você, San Francisco, assim como eu tenho o meu. Seu, sempre e para sempre...


Quando vi essa carta do editor de uma revista local, achei que fosse minha própria e não sabia. Como é difícil resgatar meu coração que perambula por aqui há muitos anos... 

Mas como toda história de amor se torna complicada em algum momento, já começo a sofrer com a minha partida em breve e também com a partida de outros que dividem o mesmo amor que o meu...


Valeu mais uma vez por dividir essa jornada comigo roommie...Porque felicidade só é felicidade quando repartida com alguém, não é?! 


Boa viagem!!

Vida Intensa!

video

Morre lentamente quem não viaja; quem não lê; quem não ouve música; quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente quem destroi o seu (amor) próprio amor; quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajetos; quem não muda de marca; não se arrisca a vestir uma nova cor ou não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da TV se Guru.

Morre lentamente quem evita uma paixão; quem prefere o negro sobre o branco e os pontos sobre os ‘is’ em detrimento de um redemoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho dos olhos, sorriso dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o trabalho; quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho; quem não se permite ao menos uma vez na vida fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da sua má sorte ou da chuva incessante...

Morre lentamente quem abandona um projeto antes de inciá-lo, não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.


Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples fato de respirar. Somente a perseverança fará com que conquistemos um estágio pleno de felicidade.”


Essas palavras estavam co cartão de despedida que minha super linda e querida Romie Lívia me deu logo que cheguei em casa no dia do embarque de volta para o Brasil.



4 de fev de 2010

Estágio: profissão mãe

Priscila e seu filho Jay descendo no escorregador, que frequento quase todas manhãs no meu estágio de mãe.

Cá estou eu, em SF treinando para ser mãe...um amigo me disse que o bom de trabalhar com crianças é que treino para quando tiver meus próprios filhos...já meu chefe me pergunta se eu tenho certeza que quero ter filhos logo depois do jantar quando há restos de comida pela cozinha inteira...Concordo, mas o desafio continua super atraente...
Mas essa semana recebo o elogio mais sincero, puro e inocente nos escorregadores do Yerba Buena Playground: "I like your hair!" - disse a menina de no máximo 5 anos de idade esperando na fila atrás de mim para descer no escorregador..."Thank you!" - disse eu...que permaneceu refletindo, não sobre o meu cabelo vermelho despenteado, mas sobre tudo isso, todas essas coisas que acontecem numa jornada...o que é real? Eu, a babá no parque se divertindo? Eu, na minha casa confortável em Floripa? Meu cabelo vermelho? Ou meu cabelo loiro acinzentado?Virei uma personagem da minha própria vida ou eu sou uma personagem na vida alheia? Cá estou eu, em SF, mais uma vez questionando mais do que nunca...mas com a certeza que está tudo certo!!