Quem somos

31 de out de 2008

Mysore... linda, limpa e civilizada







Amiga indiana em Jaipur




Depois do Vipassana tivemos nosso primeiro contato com uma familia indiana em sua casa...como nao tinhamos para onde ir ate a hora do voo para Bangalore, que era de madrugada, ela nos convidou para passar o dia com ela...alem de eles nos oferecem comidas "diferentes" o tempo todo, fizemos nossas refeicoes no chao bem ao lado de uma mesa com cadeiras...culturas...com ela tivemos nossa primeira experiencia de andar em 3 pessoas em uma scooter sem qualquer equipamento de seguranca...foi muito bom!! com ela descobrimos que nos simplesmente pagamos muito mais que o dobro pelas coisas aqui na India...e ela tambem me deu altos esporro quando na casa da irma dela eu pedi para lavar a mao antes de comer os snacks e frutas que ela nos serviu..."Aqui na India voce nao precisa lavar as maos" - ela disse...fiquei sem acao e apenas acreditei...pelo menos ate agora nao tive nenhum problema...fomos comprar saris com ela e tudo mais...ela foi muito legal, dedicou todo seu dia para nos...claro, ela era quem dizia/mandava o que nos iriamos comer ou fazer, mas tudo bem, no final do dia entendemos sua cultura e dedicacao quando nos disse que provavelmente nao era a toa que tinhamos nos encontrado, teria alguma razao espiritual...




As fotos são da cidade de Jaipur no Rajastão.

Chegou o dia


Nao sei se todos que estao acompanhando nosso blog sabem que o objetivo principal da vinda a India e Mysore... cidade do Ashtanga Vinyasa Yoga... ha muito tempo alimento este sonho, de um dia estar aqui, conhecer o velhinho Patthabi Jois e seu neto Sharath, vivenciar de verdade este metodo que eu tanto me dedico e admiro.
Chegar no aeroporto em Bangalore, pegar um taxi e ver as placas que indicavam a direcao correta para Mysore faziam meu coracao pular de tanta sensacao... caramba, estava chegando a hora... etapa final da viagem e tambem a mais esperada!
No caminho avisei o motorista: Ok, you can drop us in the Shala (vc pode nos deixar no Shala). O Shala e a casa da familia Jois e onde eles ensinam o metodo... saltar do carro deixou minhas pernas bambas, meus olhos brilhavam, estava dificil de acreditar que era tudo verdade.
Conseguimos um quarto para ficar, numa casa de familia... agora tenho pai, mae e irmaos na India tb, uma verdadeira loucura, nosso pai parece o leoncio com seu super bigodao :) e nossa mae cozinha mega bem.
Como era feriado, nao pude me registrar naquele dia, o que me deu um certo conforto, estava nervosa, ansiosa... um super momento da minha vida!! O tempo foi passando e precisei de uns dois dias para digerir a ideia de estar aqui de verdade, acreditar que este momento era real e eu estava simplesmente vivenciando... fiz minha inscricao na quarta para iniciar a pratica no dia seguinte... gaguejei, preenchi a ficha tremendo e me emocionei por dentro... agora nao tem mais volta... e se entregar por inteiro, mergulhar la no fundo com coragem e muita determinacao.
Enfim minha hora chegou e valeu a pena esperar!!!
Uma das grandes licoes que aprendi nesta trip foi esperar o tempo real dos acontecimentos. Devemos sempre vibrar e batalhar por nossos sonhos e objetivos, porem e importante respeitar o ciclo natural das experiencias... mas ou menos aquela historinha do 'apressado como cru'... Tudo no seu tempo!!!

30 de out de 2008

I can't make you happy, unless I am...


" Give me give me, give me just a little smile...that's all I ask of you (is that too much??)...let the good vibes get a lot stronger...don't worry, don't hurry, take it easy...
Jimmy Cliff

28 de out de 2008

Vipassana by Kaka

Vipassana Meditation, de 15 a 26 de outubro.

Vivencia:

A CHEGADA - Entramos no dia 15 de outubro, as 15:00. Ao chegar preenchemos um monte de papel, guardamos todos os nossos pertences no cofre, reconhecemos o local de meditacao, quarto e demais areas... ainda juntas e tagarelando sem parar, mas eu estava um pouco ansiosa com o que viveria nos proximos dias.

17h serviram um arroz indiano, jantamos e sentamos para descansar ate que escutei a frase: Ok, mais 15 minutos de conversa e entao iniciamos o absoluto silencio.
18h apresentacao e explicacao de como seriam as atividades durante os dias de confinamento.
19h meditacao.
20h descanso.

DIA 1 - A DOR NO CORPO
Tudo parecia super tranquilo, mas ainda estava assustada com toda a gravacao, mantras, e apos o meio dia a dor no corpo parecia insuportavel, qualquer posicao deixava minhas pernas super dormentes a ponto de nao senti-las mais, a bunda ficou quadrada literalmente, as costas, ombros da cama de madeira praticamente sem colchao e tudo mais... terminei o dia sem muito sucesso na concentracao e com muita muita dor mesmo... cai na cama e dormi profundo.

DIA 2 - O SONO
Meditacao de jejum, cafe da manha sem cafeina e mais meditacao foram me deixando sonolenta a cada minuto... impossivel de tentar me concentrar na respiracao, minha cabeca ficava caindo... quase dava com a testa no chao :) e so acordava com os super peidos e arrotos dos quase 80 alunos que tentavam se concentrar na sala.
Os primeiros sons me davam vontade de rir, nossa cultura impoe muito pudor com relacao a peidos e coisa e tal... mas na india e liberado e parecia que a comida ajudava... definitivamente um zoologico humano.
No final do dia, capotei na cama, nem vi e pensei em nada, meu sono + dor no corpo pareciam ter me dominado completamente.

DIA 3 - A MENTE
Ja me acostumando com a ideia de ficar os 10 dias naquela situacao, dormindo sentada para amenizar a dor, hj foi o dia da mente... nossa ela pirou, nao sabia o que fazer, me mandava embora, depois queria ficar, amava a India e depois ja odiava... me questionava o tempo inteiro, ria de tudo que acontecia ao meu redor, me chamava de maluca... pirei completamente e nos intervalos saia para caminhar que nem louca nos 600 m que tinhamos para exercicios leves nas horas de break (30 minutos).
Para dormir rolei muito na cama, se ficava de lado doia os ombros, de bruco os peitos e virada para cima as costas... caramba e ainda tinha 8 noites pela frente.

DIA 4 - A DOR DE CABECA
Acordei bem melhor, o organismo foi se adaptando a rotina, e no final do dia anterior eu tinha solicitado por escrito Cha preto no cafe da manha, para minha surpresa la estava um super copo esperando... hum, ai sim, comecei de verdade a meditacao e no final da tarde aprendemos a tecnica do Vipassana. Os 3 primeiros dias sao dedicados a mente, afim de acalma-la, controlar o turbilhao de pensamentos e no 4 recebemos os primeiros ensinamentos.
Ja de primeira vivenciei todas as sensacoes... tentando deixar de lado uma imensa dor de cabeca, gente doia muito mesmo... era latente... por conta da dor, rolei na cama umas 2 horas para conseguir dormir (nao podemos tomar nenhum tipo de medicamento sem a autorizacao do professor).

DIA 5 - A DOR DE BARRIGA
Acordei ainda com a cabeca latejando, fui meditar, cafe da manha e entao a dor mudou de lugar... ai que dor de barriga... um alien la dentro, doia muito, mal podia me mecher... entao entendi a razao da dor de cabeca e percebi a limpeza. Passei os intervalos no banheiro... ai ai.
Acho que eu e todo mundo, estava dificil de se concentrar na tecnica, a galera peidando, gemendo, um verdadeiro festival sonoro... barrigas gritantes se alteravam pela sala.
Mas eu estava imcorporando super bem os ensinamentos e a tecnica, vivenciando as sensacoes como deveriam, o que me deixava mais tranquila... pensei bastante em como estariam as meninas... se estavam tb vivenciando como eu, a dores e as meditacoes.

DIA 6 - O PASSADO E O FUTURO
Hj com a barriga mais calma o corpo adaptado a rotina, porem, enlouquecidamente desesperado pelo movimento... nao aguentei. A pratica era proibida, as caminhadas tinham que ser passeando... me tranquei no quarto e com muita vergonha de assumir fiz uns abdominais hehe, achei que tudo bem naquele momento... minha mente estava impossivel, pulando do passado para o futuro como um macaca, nao parava, ficava remoendo algumas coisas que passaram... e projetando muito muito mesmo o futuro. Como eu estava trancafiada naquele lugar, soltei a mente, a unica que poderia se libertar... por pelo menos um dia... casei, descasei, viajei o mundo, dei aulas de Yoga em varios locais, mudei de profissao, imaginei amigos, praias, chocolates, cervejinhas... hum prazeres... fui dormir feliz, sem ter meditado de verdade nenhuma vez.
Feliz mesmo, pois mechendo no passado perdoei tudo e todos, principalmente eu mesma!!!

DIA 7 - O DESCASO
Hj me dei conta que as sensacoes que eu sentia com a meditacao Vipassana eram as mesmas que eu conseguia na minha pratica, no momento do relaxamento final... fiquei um pouco decepcionada, pois ja estava todos essas dias sem praticar (que apego heim!!!)... entao comecei a questionar sem parar o metodo, ficava observando e criticando tudo como louca... sai mais cedo da meditacao da tarde... muita fome, estava vazia, vateada e sem muitas prespectivas com relacao ao que eu estava fazendo.
Entretanto, confesso que estava amando o silencio, foi realmente profundo este contato comigo mesmo, o confinamento faz com que voltemos nossa atencao para dentro, pude perceber e entender muita coisa... entao assumi o quanto a experiencia estava sendo incrivel.

DIA 8 - A ENTREGA
Me entreguei ao metodo, meditei profundo o dia todo, minha mente calou... sem pensamentos... tudo tranquilo... a nao ser a barriga da Marza sentada a duas almofadas da minha... Gente juro, nunca vi nada igual... as vezes me dava vontade de rir e eu nao tinha certeza que aqueles sons vinham dela, mas a direcao era, fiquei preocupa e ao mesmo tempo me diverti... fui prestar atencao na Eti e percebi que a velha que sentava atras dela era a pessoa que arrotava desesperadoramente o tempo todo... hehe tadinha!!
No intervalo assisti o show da familia de macacos que morava la... tinha um sem um braco, outro sem o rabo e outro com o rabo pela metade, tinham macaquinhos bebes lindos. Uma famila unida e divertida, vi os macacos fazerem amor, sexo, brincadeiras, brigas e tudo mais.
Dormi tranquila, mesmo com a cama que parecia me matar e a craca do meu corpo que estava ficando grossa de tanto banho de balde.

DIA 9 - A RECOMPENSA
As meditacoes hj foram as mais profundas, sou incapaz de contar o que pensei, pois acho que nao pensei em nada mesmo... minha mente cedeu a pressao, vivi intensamente todas as sensacoes, o contato comigo mesma... abstrai completamente o que nao fazia parte do retiro e vivenciei de corpo e alma o meu presente... E por estar no presente me senti livre e feliz por tudo que sou, tenho e estou neste momento da vida!!

DIA 10 - O FIM DO SILENCIO
um dos momentos mais incriveis de toda a viagem foi sem duvida as meditacoes da manha... muito forte, o grupo silencio, sem mente, peidos, gemidos, fuga... nada. apenas a meditacao... imovel, o corpo adormecia mais nao provocava desconforto, tudo que naquele momento importava e fazia sentido era a meditacao, a entrega a sensacoes e ao objetivo de estar ai passando por toda essa maluquice: ser feliz e livre!!!
Apos as 11h da manha o silencio absoluto finalizou... saimos da sala, choramos emocionadas e completamente realizadas pela experiencia, que sem duvida uma das mais incriveis que ja vivi em toda minha vida!!!
O resto do dia foi de risadas e conversas... amanha depois do cafe estariamos livres... e felizes!!!

Rotina:
4:00 - sino para despertar
4:30 as 6:30 - meditacao no hall centra
6:30 as 8:00 - cafe da manha
8:00 as 9:00 - meditacao em grupo
9:00 as 11:00 - meditacao no hall principal, residencia ou cela
11:00 as 12:00 - almoco
12:00 as 13:00 - descanso
13:00 as 14:30 - meditacao no hall principal, residencia ou cela
14:30 as 15:30 - meditacao em grupo
15:30 as 17:00 - meditacao no hall central
17:00 as 18:00 - cha break
18:00 as 19:00 - meditacao em grupo
19:00 as 20:30 - Video, discurso do Professor
20:30 as 21:00 - meditacao em grupo
21:00 as 21:30 - sessao de perguntas com o professor
21:30 - descanso.

Codigo de disciplina:
Nao matar nenhum ser vivo (inclui todos os insetos);
Nao roubar;
Nao mentir;
Abster-se de atividades sexuais;
Nao utilizar nenhum tipo de intoxicantes (remedios, cigarro, drogas, alcool, etc);
Nao misturar nenhuma outra tecnica ou filosofia de meditacao, yoga, ritual, atos religiosos, etc;
Silencio absoluto durante os 10 dias, inluindo palavras, gestos, olhares e contato fisico;
Utilizar roupas modestas e discretas e evitar o uso de acessorios;
Nenhum tipo leitura ou escrita sera permitida;
A alimentacao deve ser exlusivamente a oferecida pelo Dhamma;

Vipassana by Marza

Bom, acho que depois dos 10 dias de meditacao Vipassana temos muito o que dizer, ou nao...apenas sentir...

Mas tambem acho que cada uma tem que contar a sua propria experiencia, pois como diz o tiozinho Goenka (com todo respeito) "o objetivo de todos e o mesmo (a libertacao) mas cada um faz seu caminho". Mesmo que se repitam alguns detalhes, afinal de contas "ser humano e humano em todo lugar" e os processos e sentimentos acabam sendo os mesmos em algum ponto, vou contar a minha experinecia...

Nao vou contar como foi dia apos dia, pois nao vou lembrar muito bem ja que "no writing and no reading" (nao podiamos nem ler nossos livros e nem fazer nossas anotacoes) estavam entre as regras do jogo. E talvez minha amiga Kaka fale mais sobre a tecnica em si...

Depois de passar uma noite no melhor hotel que ja ficamos na India ate agora - Hotel Umaid Mahal (Jaipur) - chegamos no Vipassana Center depois de um dia de exploracao financeira. Jaipur e o lugar em que eles mais abusam de nos estrangeiros e simplesmente dobram, triplicam os precos, pois somos claramente ocidentais. Com excecao da Kaka que se colocasse um sari seria a perfeita indiana. Enfim, chegamos no centro estressadas de tanto assedio nas lojas da cidade e morrendo de fome. Depois de fazer a inscricao e ser explorada mais uma vez pelo taxista, comecamos a estremecer pelo fato de que agora nao tinha mais volta e a duvida era grande se realmente iriamos conseguir ficar 10 dias sem falar uma com as outras, sem praticar qualquer atividade fisica, incluindo yoga, sem ler, sem escrever, sem maquina fotografica, sem MP3 ou qualquer tipo de entretenimento, sem contato algum com o mundo la fora, com o passaporte retido, na duvida se iriamos passar fome, etc...Cada uma tinha seu quartinho com banheiro de padroes indianos de limpeza, cheio, cheio de bichinhos desconhecidos, varias especies de aranhas, uma familia inteira de lagartixas e alguns formigoes. O banho era de canequinha, mas tudo bem, tudo estava inserido em um ambiente super gostoso e agradavel, com muito verde e animais lindos do lado de fora - macacos, pavoes, periquitos, esquilos. Fomos advertidas sobre as visitas de cobras e escorpioes, que nao aconteceram.

Apesar de tudo conseguimos enfrentar o Vipassana ate o final, e mais facil do que pensei...

Acordavamos as 4 da manha e dormiamos as 9:30 da noite. Haviam 3 refeicoes por dia, incluindo pimenta no cafe da manha, que nao seguravam a barriga por muito tempo sem roncar (acho que meditar gasta muitas calorias) e mais ou menos 10 horas de meditacao - ou tentativas - por dia, ou seja, a bunda ficou flat flat, perdi uns kilinhos e tenho cheiro de indiano ja. Sem muito o que pensar tentei viver o sistema de corpo e alma. Nesses dias voce nao poderia matar (nem as formigas e aranhas que tentavam invadir a sua cama), roubar, contar mentiras, ter qualquer atividade sexual (so nao sei se pensamento e uma atividade sexual, pois pensei muito no meu namorado, agora ja foi) e nao se intoxicar (fui obrigada a tomar uns antibioticos nos ultimos dias por conta de uma amidalite). Talvez nao tenha sido tanto de corpo e alma, mas mesmo assim obtive alguns bons resultados psicologicos e espirituais, de certeza...Nao senti em nenhum momento aversao por estar ali, pelo contrario, adorei a minha rotina...claro que nada e maravilhoso o tempo todo, mas tudo bem tambem...lei da impermanencia, everything is always changing...ja e um aprendizado!!!

Eu nunca havia praticado qualquer tipo de meditacao que nao fosse rezar na minha caminha confortavel, e de repente tenho que ficar horas sentada prestando atencao na minha respiracao natural. Well, acho que nao passei mais de 5 minutos correntes concentrada nela nos primeiros 3 dias. Era realmente improvavel que a minha mente que tem me dominado durante esses anos todos iria deixar eu nao pensar em nada "nem no futuro e nem no passado", so sentir a minha respiracao e nao as dores no meu joelho e viver somente no presente momento em que entra e sai ar das minhas narinas. Certamente nesses primeiros dias fiquei na batalha mente/respiracao, sem qualquer ansiedade -"just observe" e outro ensinamento - voltando sempre feliz pro meu quartinho de prisao e pro meu mundinho um tanto autista. Mas as vezes, quase sempre, estava eu quase super concentrada e era acordada por algum duplo arroto de nossas colegas velhinhas no fundo da sala. No quarto dia aprendemos a real tecnica Vipassana, a qual prefiro nao dar muitas explicacoes para nao gerar expectativas, e com muito alivio descobri que nao teria que ficar 10 dias apenas sentindo a minha respiracao. E e nesse dia que sinto pela primeira vez meu corpo vibrar por dentro. O que seria isso?? E dificil de explicar, mas so sei que fiquei tao assustada e meu coracao acelerou tanto, mas tanto que fui obrigada a abrir os olhos, pois nao tinha ideia de onde eu iria parar, ja que meu corpo nem se movia. E nos proximos dias fui sentindo outros tipos de sensacoes, vibracoes, choquinhos, bolhas estourando no meu ouvido, etc...Mas infelizmente a batalha com a minha mente nao parou. Ela continuava firme e forte. O momento mais esperado do dia era o video do Goenka que tinha o dom de descrever nossos sentimentos dia apos dia. Ele sempre acertava o que havia acontecido no meu mundinho de batalhas. Ele nos fazia rir com suas piadinhas. Ah, de certeza a coisa que mais senti falta nesses dias foi de dar boas risadas, mesmo rindo a toa por dentro, tinha que desviar as minhas amigas pelo caminho para simplesmente nao cair de tanto rir e ser expulsa do Vipassana. O sexto dia minha mente me rendeu e me dominou o dia inteiro. Tentei desencanar e aceitar o fato de que ela ainda e mais forte que eu, as vezes. No oitavo dia apelei para os antibioticos, ja que nao estava em casa com meu remedinhos naturais e isso atrapalhou um pouco minha performance meditativa. Nos ultimos dias ja nao sentia tantas dores pelo corpo mas ja nao me concentrava tanto. Cheguei a ficar apegada com aquela rotina e meu quartinho, mas o mundo aqui fora e tao bom!! No ultimo dia, no qual podiamos falar, falar e falar fizemos umas amigas indianas, o que foi bem interessante...

Nao sei ate que ponto isso tudo mudou a minha vida, mas estar somente comigo nesses 10 dias foi alucinante...tive a certeza de que a minha felicidade e a solucao dos meu problemas estao sempre dentro de mim e nao nas coisinhas e pessoas la fora...que "tudo passa e esta em constante mudanca" e que eu devo sempre "observar" todas as situacoes da minha vida sem muito desejo ou ansia de que elas acontecam e sem aversao ou relutancia pela as que eu nao quero que acontecam.

Vamos ver o que acontece no dia a dia, back home...e la que eu vou ter certeza dos beneficios desses 10 dias intensos...

25 de out de 2008

Surviver





De volta!!
Viva, mais feliz e LIVRE do que nunca...
Agora estamos embarcando em direcao a Mysore, logo que conseguir estarei postando os super detalhes sobre o Vipassana, uma experiencia simplesmente incrivel e intensa.
Ficar sem falar por 10 dias foi sem duvida o mais facil de todos os desafios...
A dor na bunda, joelhos e pernas de ficar sentada em meditacao 10 horas por dia... o banho de caneca com agua gelada, a comida indiana mega apimentada no cafe da manha, barriga roncando a madrugada inteira e muito mais...
Mas o resultado de tudo e lindo e profundo!!



Essas são algumas das imagens do quarto que fiquei.

13 de out de 2008

Off line


Well, chegou a hora... dia 15 de outubro entramos no Vipassana.
Vou mergulhar em outro universo... encontrar talvez novas prespectivas e experenciar minha propria natureza.
Se tudo der certo volto daqui ha 10 dias com novidades...

... e você me pede pra ter paciência e juízo... mas o que eu gosto e de andar na beira do abismo... arriscando minha vida por um pouco de emoção...

Rita Lee

12 de out de 2008

Out of order...


Venho atravez desta me despedir desse mundo para entrar em um mundo novo...volto a aparecer no meu aniversario mais inusitado de todos os tempos...beijos e bye bye...

Fanfarra Indiana







Rishikesh








... vai deixar saudades.
Simplesmente amei estar aqui, dei muita risada, relaxei toda a tensao da trip, adaptacao e tudo mais.
- Welcome to Litthe Buddha Bar rsrsrsrsrsrsrsrsr God bless you!!
- Green Italy, melhor panqueca de nutela com banana de Rish!
- Strong black coffee do Madras, cafezinho bom mesmo;
- Falsos Yoguis, Sadhus e Swamis por todo lado... ah e uns verdadeiros perdidos tambem;
- Comida do Ashram... melhor de todas... pimentinha ate no cafe da manha;
- Missa da tarde, mantras, paquera, fogo e todo ritual;
- Produtos Himalaia;
- Indianos com dentes mais branquinhos e limpos, com ingles mais claro;
- Compras, compras e muitas compras...
- As vacas, macacos, Ganges, pontes, ashrams, caminhadas, cheiro de coco...
- Os antipaticos israelenses e os simpaticos amigos brasileiros!
- Cha de limao com gengibre e cafe gelado com sorvete... kilinhos a mais :)
- MidWay;
... e muito ocio... tranquilidade... ferias!!!

Sab Kuch Milega!!

Outro dia entramos numa lojinha cheia de frufrus de Rishikesh... lencos, calcas, blusinhas, tiaras, bolsas... aquela loucura para as super Patricinhas da India.
Provamos a loja inteira, botamos abaixo todas as pratileiras... entao reservamos umas coisinhas e fomos passear... ao voltar, os dois vendedores estavam dormindo dentro da loja, um jogado pelo chao por cima de tudo que provamos e o outro atravessado na cadeira de espera... essa India e demais mesmo.
O mais legal de tudo e que estamos sempre aprendendo coisas novas, achei uma camiseta de dizia em Hindi: SAB KUCH MILEGA, inevitavel foi perguntar o significado:
"Voce tem tudo aquilo que quer... use seus pensamentos positivamente, coloque intencao e foco e deixe que o Universo se encarregue de tudo... pensamento, palavra e acao na mesma direcao."
Ops, e bom prestar atencao naquilo que desejamos, isso funciona mesmo heim!!!! Coloque vibracao no que voce realmente quer, cuidando sempre com as consequencias das suas acoes e com os desejos tambem.
Ah, esqueci de falar que estava procurando uma camiseta escrita: SAME SAME BUT DIFERENT...

11 de out de 2008

Cagando e andando



Descobri a origem da famosa frase cagando e andando...

Depois que a Marza teve a brilhante ideia de fotografar os chifres da India, temos observado muito as vacas, elas vivem como os vira latas no Brasil, mendingando comida e carinho... Tadinhas, comem tudo que veem pela frente, cada porcaria nojenta pelo chao... desde de um paozinho que alguem da ate o coco de um indiano escondido no mato...

resultado: caganeira, diarreia ou qquer coisa parecida!!!

E assim circulam as vacas na India cagando e andando...

hahahaha tem cada lavagem pelo chao!!!

Missa para paquerar









Assim dizia Cazuza:
"Como pode alguem ser tao demente, porra louca, inconsequente e ainda amar. Ver o amor como um abraco curto para nao sufocar..."


Todos os dias as 17:30 temos um compromisso em frente ao Ashram as margens do Ganges: Missa da tarde... e uma especie de ritual, chamado Puja, com oferendas e cantos para as deidades... maior balada, cheio de indiano e branquelo de todos os cantos do planeta, luz, camaras e ate gente famosa.
Ontem, pela manha recebi o maior sermao das meninas me chamando de dificil, que sou super fresca... chata e cheia de frufru e nao me apaixono por ninguem nunca, que so quero saber de liberdade e nao gosto de ninguem no meu pe...
Ai ai mereco isso ne! Entretanto e sempre muito bom ter amigos para apontar nossos padroes e tentar abrir novas prespectivas no nosso caminho.
Agora todo dia coloco rimel, baton, brinco e colar novo para ir na missa... so quero saber de paquerar :)


Ela so quer, so pensa em namorar... ela so quer, so pensa em namorar...
E olha que estou gostando da brincadeira...

Banho no Rio


Desde que anunciei a viagem para Índia, todas as pessoas que por aqui passaram me aconselhavam um mergulho no Ganges caso viesse para Rishikesh... bem, aqui estou!!

Já tinha separado o maiô para um super tibum no Sagrado Ganga, quando de repente vejo o morto peladão boiando nas correntezas com a bunda para cima... hahahaha... que bom que vi antes de mergulhar!!

Acho que o tibum vai ficar para próxima vida... e ainda olhe la.

So na Índia mesmo...

Agora...


...que o choque cultural passou comecamos a nos divertir...Claro, Rishikesh tem varios fatores que nos fazem sentir mais a vontade, pois tem muitos branquelos, tem um paraiso de compras (mesmo que tenhamos que acordar os vendedores para nos atender), tem o Little Budha (um bar nepales) que tem Iced Coffee e um ambiente super agradavel, e uma cidade super bonitinha, pequena e agradavel e os indianos nao pegam tanto no nosso pe. Ontem tomamos ate uma cervejinha. Foi um empenho consegui-la, mas gostamos de tomar umas Godfathers...
Mas o melhor disso tudo e que conseguimos rir o dia todo, de todas as coisas, incluindo a diarreia das vacas (elas comem de tudo um pouco) e de nos mesmas aqui na India...tirando, e claro, alguns momentos de tensao como ver pela primeira vez um corpo morto, inchado e pelado fazendo "rafting" no Rio Ganges, e ainda presenciar os olhos de uma macaca mae super machucada com seu bebe macaquinho morto em seus bracos...
Hoje resolvi fazer uma serie de fotos sobre as vaquinhas da India...espero poder postar logo...

I'm like a bird...


...I'll only fly away. I don't know where my soul is, I don't know where my home is...

10 de out de 2008

So sei que nada sei...




Por saber que vamos ficar 10 dias sem falar, cada dia que passa tagarelamos mais e mais...

De repente segundos de silencio... a Marza solta um boa:

- Ai Meu Deus, quanto mais eu aprendo menos eu sei... que saco!!!

Cabeca de ocidental e assim mesmo... pensamos demais, queremos entender e saber de tudo o tempo inteiro... esquecemos da sensacoes e mais uma vez nos estabelecemos na mente!!

Vamos pensar menos e vivenciar mais...

9 de out de 2008

Ganga River


A Eti perguntou para o recepcionista do Ashram...em Rishikesh

- O Rio e limpo?? (para tomarmos banho)

E ele respondeu: - It's a holy river! (E um Rio sagrado)

Mantendo o Foco


Quando voltei de San Francisco, em 2002, fui procurar uma escola de Yoga no Brasil... bati na porta e falei que gostaria de praticar Yoga, o cara que me atendeu me perguntou pq eu gostaria de fazer Yoga, respondi: estou em busca do auto conhecimento.
Nem sei de onde tirei isso naquela epoca...
O tempo foi passando e eu mergulhando profundo na pratica, nos estudos e nesse tal de auto conhecimento...
Infelizmente ao longo de nossa existencia, diversos obstaculos se estabelecem e desviam nossa atencao, consequentemente nosso foco.
Imagina que voce esta meditando na beira do ganges tentando se concentrar, de repente ouve um passaro e pensa: que passaro sera esse? abre os olhos e procura por ele, enquanto procura ve uma vaca... entao esquece do passaro e pensa na vaca que esta procurando comida, vc se da conta que esta com fome... quer saber as horas para ter certeza que o cafe da manha esta na mesa... procura o relogio que esqueceu no quarto... imediatamente, sem nenhuma atencao no seu foco (que era meditar a beira do Ganges), vc se levanta e vai saber as horas, no caminho encontra um amigo que fala de um ritual, vc se interessa, esquece das horas, do cafe e ate da fome e vai para o ritual... putz e ai o foco ja era mesmo...

Ontem li uma passagem de um livro do sabio Ramana Maharish que dizia:
"Somente com a experiencia consciente do que realmente somos podemos alcancar o auto conhecimento... e para atingir esta experiencia consciente e necessario muita atencao..."

Atravez da atencao em nos mesmos, muita determinacao e foco podemos ser realmente aquilo que somos... mantendo o proposito incial alcancamos nossas metas evitando que nosso caminho se perca e a confusao de estabeleca!!

Desejos


Outro dia escrevi sobre ser ocidental e como foi bom realizar nossos desejos sensoriais ...Dai a noite, fui ler meu livro (que eu trouxe do Brasil e que ganhei da Kaka), que coincidentemente, ou nao, e de autoria do fundador do ashram que estamos hospedadas...abro a pagina do marcador e la estava um artigo sobre desejos...
"Sem desejos, alcancamos paz e felicidade. Nos pensamos, erroneamente, que realizando nossos desejos, seremos mais felizes. Mas na verdade, e o contrario que acontece. Realizar desejos nos leva a uma felicidade temporaria nao porque o objeto de desejo foi conseguido, mas simplesmente porque o desejo temporariamente desapareceu! Se eu desejo um carro novo e eu compro um carro novo, entao meu desejo por um carro novo foi embora. Nao e o carro novo propriamente dito que me traz felicidade, mas sim o fato de eu agora estar livre do desejo por um carro novo. (dai inventamos outro desejo) Sempre tem mais. Os desejos sao como sementes no jardim das nossas mentes...Por um momento nos estamos satisfeitos, mas dai o fogo do desejo comeca a queimar novamente...Nos devemos renunciar nossos desejos. Isso nao significa renunciar felicidade ou possessao. Ao inves, isso significa se contentar com tudo. Ficar feliz simplesmente por tudo que ja temos, do jeito que temos, onde estivermos. Usar tudo que temos em beneficio do mundo. Se sentir em paz com tudo o que voce ja tem. Voce esta examente no lugar e posicao que tem que estar (para aprender sempre mais). Nao perca seu tempo pensando 'Se eu somente tivesse isso ou aquilo, eu seria feliz'... Nao vamos perder nossos preciosos momentos da vida na procura inutil de mais e mais prazeres e mais posses, propriedades e bens."

Nao acho que devemos renunciar todos os nossos desejos e prazeres, ate porque as vezes eles sao muito satisfatorios, mas nao, deixar de estar em paz e feliz, pra entrar na pira de querer muito uma coisa e deixar de curtir e vivenciar coisas que estao bem na nossa frente e que um dia irao passar...
Eu ja havia falado algo parecido sobre o contentamento, mas quando me peguei desejando exatamente aquilo que nao tinha aqui na India, realizei que estava totalmente enganada, indo na onda da minha mente a procura apenas de prazeres e apegos (e claro)...Afinal de contas estou na India numa super experiencia e isso ja e tudo para eu me sentir em paz e feliz...
(mesmo que eu tenha que enfrentar banheiros assustadores e comer num restaurante cheio de coco de vaca na frente). ehehehehe

8 de out de 2008

AMIGA LAGARTIXA


Habitante de nosso humilde quarto...nosso repelente natural...somos agora o quarteto fantastico!!!

Eternos Vritts


Pulei da cama as 06:30 para praticar, colchao duro, ventilador muito forte e barulhento, estava ventando la fora, banho de agua muito fria vinda direto da montanha (Mae, olha isso... Eu tomando banho muito frio).
Nao deu outra Vatiei... estar com o vata agravado, segundo a Ayurveda - medicina Indiana, e como se os ventos estivessem dentro de nos... a mente nao para, agita o corpo, a alma e as emocoes... ai ja viu ne!!!
Quando a mente fica assim doidinha acontece tanta coisa la dentro... a gente muda de pais, de profissao, acha que ama alguem e depois ja sabe que nao... quer voltar para o Brasil com pit stop em Amsterdan, quer ficar na India para sempre... vai para Mysore, desiste do Vipassana... hehehe, nao para!!
E mais ou menos assim que estamos...

De qualquer maneira, a India ja comecou a mecher muito forte, sei que vou levar um tempo para digerir todas as transformacoes, mas ja percebo elas latentes... e logo estaremos no Vipassana, retiro de 10 dias de meditacao, sem falar, cruzar olhares, correr, praticar, nada... apenas meditar horas e horas por dia. Quero ver segurar esse monte de Vritts (flutuacoes da mente, pensamentos).

As vezes meu coracao bate mais forte, e acho que estou pronta para voltar pra casa mesmo... mas as vezes penso que pode ser apenas uma fuga... vai saber ne... so espero nao demorar demais para descobrir :)

If it makes you happy
It can't be that bad
If it makes you happy
Then why the hell are you so sad
Sheryl Crown

Fotos...

Uma lan house nao deixa baixar fotos, outra cobra pelo servico...mas nao vamos desisitir...

Lagartixas




Nosso humilde quartinho no Ashram, tem todas as portas e janelas cobertas por telas para evitar o ataque de mosquitos durante a noite... porem, ontem antes de dormir comecei a escutar um zunzun no meu ouvido, sabe aqueles mosquitos que ficam assobiando e a gente nao dorme nunca...
Ainda de luz acessa, olhei os cantos do quarto e vi uma abertura cheia de frufru em cima da porta, bem coisa de portugues, colocar mosquiteiro na porta e nao na parte de cima... mas enfim, acho que a intencao foi boa!!
Levantei na hora e ja fui pegando um pano para tentar tampar quando dei de cara com uma super lagartixa, ops, ou sera um crocodilo??
Gente, acreditem, aqui tem tanta mosca e outros bichinhos que as lagartixas sao gigantes e super bem nutridas, surpreendente... acho que sao os seres mais fortes daqui.
Acabamos dormindo com a Gigante no quarto, pelo menos ela comeria todos mosquitinhos que haviam entrado antes de tapar o buraco...

7 de out de 2008

ESTACAO DE TREM...


...ou zoologico?? vacas, ratos, grilos, e muitas especies de insetos...uma hora com mochila nas costas, suando muito e apreciando os bichinhos, os cheiros, os indianos curiosos e os trilhos do trem, ou seria um esgoto??