Quem somos

29 de jun de 2009

voltando aos normais...com suas ideologias...








"Meus heróis morreram de overdose...(ou estão morrendo)



...meus inimigos estão no poder...

Depois de cansar de ouvir sobre a morte e a vida bizarra de Michael Jackson, refleti um pouco sobre essa nossa society, mais uma vez...num mundo em que não ser medíocre é entendido como ser "celebridade"...mesmo que isso custe vidas, mesmo que isso custe a destruição do planeta, mesmo que isso custe dor...tudo bem, nunca estive no "poder" pra saber minha reação...mas aqui vai minha indignação...com compaixão...mais uma vez...

ideologia, eu quero uma pra viver!
(Cazuza)

*fotinhos tiradas do nosso amigo Google

27 de jun de 2009

Normal??



The only normal people are the ones
you don't know very well.
Joe Ancis

Picture by Richard Avedon

Tudo por Amor

Sexta-feira a tarde, basicamente “nada para fazer” ouço minha mãe me perguntar:
- Ana Claudia, você sabe ligar a televisão? - Ué Mãe, acho que sei, por que a pergunta?
- Teu pai comprou um novo aparelho da Net, passa filmes bons o dia todo... de repente assim você se interessa pela programação.
Realmente eu não sabia ligar a televisão... aprendi e logo cai no canal que transmitia um filme super antigo chamado Message in a Bottle, Carta de Amor em português. Na mesma hora lembrei a minha choradeira a primeira vez que assisti – patética, além de me acabar chorando, adoro filminhos assim. Sentei no sofá, peguei o cobertor e fui ver novamente.
Outra perspectiva e a choradeira foi maior ainda, me identifiquei tanto com a história de amor do filme.. ela indo embora, deixando um grande amor... depois ele vai visitá-la, se declara, as cartas de amor, encontros e desencontros... aih!!
Enfim, enxuguei as lágrimas e fui para frente do computador. No facebook um amigo havia postado um link intitulado O Amor que Transforma, claro que na mesma hora eu cliquei para ver o que era, patética pela segunda vez.
O link caiu direto na coluna do Contardo Calligaris na Folha de São Paulo, não quero me estender muito, mas vou reproduzir aqui alguns trechos:

AMORES E MUDANÇAS
Como esbarrar num amor que nos transforme?
Quando a vida da gente está emperrada (o que não é raro), será que faz sentido esperar que um encontro, um amor, uma paixão se encarreguem de nos dar um novo rumo? Provavelmente, sim — no mínimo, é o que esperamos: afinal, o poder transformador do encontro amoroso faz o charme de muitos filmes e romances.
Os especialistas validam nossa esperança. Jacques Lacan, o psicanalista francês, dizia, por exemplo, que o amor é o sinal de uma "mudança de discurso", ou seja, na linguagem dele, de uma mudança substancial na nossa relação com o mundo, com os outros e com nós mesmos. Claro, resta a pergunta: o que significa "sinal" nesse caso?
Duas possibilidades: o amor surge quando está na hora de a gente se transformar ou, então, é por amor que a gente se transforma. Não é necessário tomar partido: talvez as duas sejam verdadeiras.
Seja como for, volta e meia, alguém me pede uma receita: como esbarrar num amor que nos transforme? A resposta trivial diz que os encontros acontecem a cada esquina: difícil é enxergá-los e deixar que eles nos transformem, ou seja, difícil é ter a coragem de vivê-los.
...toda chance que a vida nos dá talvez seja mesmo a nossa última... o diálogo que leva ao amor, que dá a cada um a vontade de se arriscar, não surge da sedução e do charme, mas da coragem de nos apresentarmos por nossas falhas, feridas e perdas.


Me senti patética pela terceira vez, apenas por me sentir assim sempre que vejo, ouço ou falo sobre AMOR!!!

Universe In Disenchantment

Acho que eu deveria homenagear o Michael Jackson... e talvez o faça em algum outro momento, não agora. Hoje estava dirigindo, escutando a Itapema FM - exatamente quando o locutor parece estar 'iluminado', uma música boa atrás da outra, e ...
Tim Maia, não pude resistir!!
(vale levantar e dançar também tá)



We are gonna rule the world
Don't you know, don't you know
We are gonna rule the world
Don't you know, don't you know
We're gonna put it together

We are gonna rule the world
Don't you know, don't you know
We are gonna rule the world
Don't you know, don't you know

We're gonna put it together
Want to put it together
We're gonna put it together
Want to put it together
We're gonna put it together now
Together now

Listen me all
We're gonna tell you
The most important thing
That you've never
Heared in your life
You've never
Heared that before
We came
From me a superworld
World of rational energy
And we live
The energy world
World of animal's energy
Read the book
The only book
The book of God
"Universe In Disenchantment"
And you gotta know the true
Oh, right, man
Play the guitar
Rational Culture
Composição: Tim Maia

26 de jun de 2009

Apnéia



Nada sei dessa vida
Vivo sem saber
Nunca soube, nada saberei
Sigo sem saber...
Que lugar me pertence
Que eu possa abandonar
Que lugar me contém
Que possa me parar...

Sou errada, sou errante
Sempre na estrada
Sempre distante
Vou errando
Enquanto tempo me deixar
Nada sei desse mar
Nado sem saber
De seus peixes, suas perdas
De seu não respirar...
Nesse mar, os segundos
Insistem em naufragar
Esse mar me seduz
Mas é só prá me afogar...

Composição: Paula Toller/George Israel

Para os que não me conhecem...

Photo by Marza Tozo
Eis aqui uma Geminiana...
Como é uma geminiana típica, você fala muito e nunca está onde estava há cinco minutos. Ninguém consegue amarrar-la com uma corda e esperar pacientemente até que retirem-na. É mais provável que ela faça um truque e desapareça diante dos olhos alheios, deixando-os com a corda nas mãos. Você é imprevisível, mutável como o metal mercúrio, ama disfarces e mímica, fascina-se com quase tudo por um momento, sente tédio rapidamente e segue em frente.
Gêmeos é a borboleta do zodíaco. Algumas borboletas são menores e mais frágeis que outras, mas todas voam. É claro que também existem geminianas que se especializam em alguma área, arte ou profissão em particular. Mesmo assim, elas têm que encontrar variedade no campo escolhido.
Seu signo às vezes é acusado de ser superficial e fútil. Isso simplesmente não é verdade. Sua mente é perfeitamente capaz de profundidade e concentração, quando necessário. Acontece que, se gastar muito tempo com uma única coisa, você poderá perder algo mais. E essa perda de algo potencialmente interessante é quase a pior coisa que poderia acontecer a você. A pior seria ficar entediada
Sua mente inquieta busca um espectro de conhecimento e compreensão amplo e quanto mais longe você for em sua busca, mais feliz ficará. Você é a eterna estudante, se interessa pelas pessoas (a uma distância emocionalmente segura) e conversa com quase qualquer um para ouvir um novo ponto de vista. Em você não existem preconceitos ou limitações, pois é uma verdadeira democrata. É claro que existe um preço a pagar por todos esses dons maravilhosos: pode ser que você sacrifique sua capacidade de relacionar-se mais profundamente para preservar sua mobilidade. Seu signo não gosta de confrontos emocionais acalorados.
Geminianas muitas vezes fazem piada das coisas que sentem mais intensamente. Se alguém começar a despir sua alma por inteiro, em gestos grandes e teatrais, você voará para longe como uma borboleta com a emoção inteiramente desconectada. Com todo aquele conhecimento se debatendo dentro de seu crânio, pode ser que você fique curiosamente cega diante de seus próprios sentimentos profundos.
Esse é um dos signos menos introspectivos. É possível que seja necessário que você passe por algumas experiências bastante dolorosas para fazê-la sentar-se e lidar honestamente com toda essa confusão de emoções. E quando você o fizer, é provável que observe e disseque suas emoções com a mesma curiosidade desapegada que observa as emoções de outras pessoas. Não é de se espantar que muitas geminianas tenham um dom para a literatura: você é uma espectadora que observa todo o jogo da vida.
Como uma criança, é possível que você tenha múltiplas personalidades. Você pode ser carinhosa, delicada, poética e incrivelmente ligada ao mundo à sua volta, e também é capaz de se embrenhar em humores bastante soturnos, que raramente duram muito tempo, e que felizmente são inteiramente esquecidos logo depois.
Você detesta ser questionada ou posta a prova, embora não se recuse a colocar terceiros na berlinda. Se quiserem explicações para o seu comportamento, você ficará feliz em inventar algo só para desviá-los de seu rastro. Você é capaz de provocar desenganos grandes ou pequenos, tanto a você quanto aos outros, se sentir que está sendo muito limitada. No fundo, porém, você tem uma ética muito forte e tenta lidar com as pessoas de forma justa.
Cumprir o dever só por obrigação não é seu estilo e é claro que você não gosta de carregar fardos. Se ficar enredada em uma rede de afazeres domésticos infindáveis ou em um trabalho entediante que não estimule sua mente viva e curiosa, você poderá ficar com seus nervos em pedacinhos, começar a roer as unhas e picar papel, ou você simplesmente irá embora. Para você, pode ser difícil comprometer-se, mesmo quando estiver totalmente apaixonada. Não é que não seja capaz de sentir intensamente: você é capaz de ser constante em um relacionamento por toda a vida, mas não gosta de ter seus pés pregados a terra. A borboleta traz alegria e mágica, mas somente se permitirem que ela voe em liberdade.

*Texto baseado no livro "Os astros e o amor" de Liz Greene, Ed Cultrix, SP.

Open up your heart

ByMe

I'll play your fav'rite song, darlin'.
We can rock it all night long, darlin'.
'Cause I've got love, darlin':
Love, sweet love, darlin'.
Mellow mood has got me,
So let the music rock me.

'Cause I've got love, darlin':
Love, sweet love, darlin'.
Quiet is the night,
Please turn off your light.

I'll play your fav'rite song, darlin'.
We can rock it all night long, darlin'.
'Cause I've got love, darlin':
Love, sweet love, darlin'.

Strike the hammer while iron is hot;
Strike the hammer while iron is hot;
Strike the hammer while iron is 'ot now.
Open up your heart; Open up your heart.
Love love come running in, darlin':
Love, sweet love, darlin';
Love, sweet ma love, darlin'.

Mellow mood has got me, darlin',
So let the music rock me, darlin',
'Cause I got your love, darlin':
Love, sweet love, darlin'.

I'll play your fav'rite song, darlin'.
We can rock it all night long, darlin'.
'Cause I've got love, darlin':
Ma love, ma sweet, ma love, darlin'.
Bob Marley

25 de jun de 2009

Família, gato, cachorro, galinha, família...

uma flor para uma flor

Família: um envolvimento entre os véus da ignorância e da sabedoria...queria poder ajudar, libertar...mas os corações não querem se abrir...querem repetir padrões da sociedade e de si mesmos...não querem se libertar, não querem deixar que eu os liberte dessa raiva insana...tive que chorar e dasabafar pra mim mesma...afinal o problema não é comigo mesmo...mas frustrei, queria poder ajudar as pessoas a amarem antes de mais nada...but I guess, vou usar meu amor e minha compaixão pra abraçar quem quiser ser abraçado!!!

Understand the things I say,
Don't turn away from me
'Cause I spent half my life out there
You wouldn't disagree
D'you see me, d'you see
Do you like me, do you like me standing there
D'you notice, d'you know
Do you see me, do you see me
Does anyone care

Unhappiness, where's when I was young
And we didn't give a damn
'Cause we were raised
To see life as fun and take it if we can
My mother, my mother she hold me,
Did she hold me when I was out there
My father, my father, he liked me
Oh he liked me, does anyone care

Understand what I've become,
It wasn't my design
And people everywhere think
Something better than I am,
But I miss you. I miss
'Cause I liked it, I liked it
When I was out there
D'you know this, d'you know
You did not find me, you did not find
Does anyone care

The Cranberries



24 de jun de 2009

I can't complain

Going to work, day 1
Day 2
Day 3
Day 4
Day 5
Lagoa da Conceição, Florianópolis - Brasil

Pouco entendo sobre este solstício de inverno, porém sei que é poderoso, posso sentir das maneiras mais inusitadas possíveis a energia no ar. Do pouco que sei... sei que é um período de renovação, onde eliminamos algumas 'nhacas' para recomeçar o segundo semestre do ano com o corpo mais limpo e forte, mente lúcida e muita determinação para seguir adiante.
Fui organizar algumas informações no blog "ashtanga soul" e encontrei estas palavras que eu mesma escrevi no começo deste ano e que acabam de virar meu mantra para os próximos meses.
...que nossa mente seja mais clara e calma
que possamos amar muito mais
que a diversidade traga mais possibilidades
que a beleza da vida ilumine o nosso olhar
que a disciplina, concentração e foco estejam sempre presentes.
Que tenhamos o equilíbrio da montanha
e a instabilidade do oceano.
Que possamos encontrar entre os paralelos
nossa própria natureza,
nossa verdadeira essência.
Que sejamos mais felizes
e acima de tudo livres...

Toda errada, confusa...

Fotos do jardim de um parque em San Fran!



... completamente vateada e muito feliz!!!
Nem sei como começar esta postagem, pouco sei o motivo de escrevê-la, também quase nem sei de mais nada neste momento. Não como, não durmo e ao contrário do que diria Caetano Veloso “eu agüento”, só não sei ao certo o que!!
Um parágrafo e já dá para perceber o que está acontecendo comigo... Toda enrolada, mas vou tentar organizar, se não a vida, mas essa postagem.
Hoje faz exatamente uma semana que cheguei de viagem, como nada sei, não entendo por que voltei. Mas também se tivesse ficado talvez também não entendesse o motivo. Enfim, cheguei na terça passada, quarta já estava dando aula normal - fora de forma depois de 40 dias de férias. Voltei para os treinos de natação – quase morri afogada para acompanhar os brutamontes... fora isso, que não mudou nada.. o resto está uma loucura.
Como estou mais calada que o normal e sinceramente, sei lá por que, meus amigos me perguntam: - E ai, fica no Brasil até quando? Alguns alunos dizem: - Que pena, já estou sentindo que você não vai durar muito por aqui. Meu pai me liga e pergunta: - Você viaja amanhã? Eu sem entender nada respondo: - Pai como assim, do que você está falando? E ele: - nada, só quero saber se você vai estar em casa ou viajando amanhã.
Ai que zona, já não basta minha cabeça insana tentando desbravar a si própria e ainda todas as perguntas, choramingos e loucuras para digerir. Ah, esqueci que o Fidel (meu dog lindo), assim como eu está um tanto quanto, eu talvez diria “depressivo” no sentido positivo da palavra.
No fundo percebo que a cada dia vou melhorando da loucura.. Porém, ao mesmo tempo vou me sentindo mais louca. Naturalmente, ontem entendi que a viagem ainda não acabou... e por mais weird que pareça, San Francisco foi muito mais intenso e profundo do que a Índia. Tantas processos para entender... e para completar a zona estou namorando por email. Pode isso?? Existe mesmo?? Minha avó diz que não sabe dessas coisas e que as vezes parece que eu não falo a mesmo língua dela.
É, não falo a mesma língua da minha a e nem do meu ‘namorado virtual’. Olha o tamanho da confusão.. abro meu email e tem lá uma mensagem dele, com aquele inglês ‘tipicamente formal, perfeito’ de um cara que trabalha com linguagem contratual, fica me desafiando com ‘novas palavras’ fazendo com que eu expanda o meu vocabulário... e até ai tudo bem.
Mas e o resto? Contar minha vida por email, expor em outra língua um pouquinho do meu universo, aquela história de barreira cultural, desafios... e o mais maluco de tudo, onde está a perspectiva de se encontrar de novo?? Vai saber... se nem sei de mim como posso saber de outro alguém.
Solstício de inverno, TPM e readaptação... ainda bem que isso logo vai passar!!!!!
I can't get to sleep, I think about the implications
Of diving in too deep, and possibly the complications
Especially at night, I worry over situations
I know will be alright, perhaps its just my imagination
Day after day it reappears
Night after night my heartbeat, shows the fear
Ghosts appear and fade away
Alone between the sheets, only brings exasperation
It's time to walk the streets, smell the desperation
At least there's pretty lights
And though there's little variation
It nullifies the night from overkill
Men at Work

Enjoy it!

"Life is short, break the rules,
forgive quickly, love truly,
laugh uncontrollably,
and never regret anything that made you smile."
Re Mendes

Foto: Batera d banda John Vanderslice.

22 de jun de 2009

Autos...retratos...


Abaixo está um poema que lemos na aula de pós e que me identifiquei um monte, "mas pode que só um pouco"...

AUTO-RETRATO

"Ao nascer eu não estava acordado, de forma que

não vi a hora.

Isso faz tempo.

Foi na beira de um rio.

Depois eu já morri 14 vezes.

Só falta a última.

Escrevi 14 livros

E deles estou livrado.

São todos repetições do primeiro.

(Posso fingir de outros, mas não posso fugir de mim).

Já plantei dezoito árvores, mas pode que são quatro.

Em pensamento e palavras namorei noventa moças,

mas pode que nove.

Produzi desobjetos, 35, mas pode que onze.

Cito os mais bolinados: um alicate cremoso, um

abridor de amanhecer, uma fivela de prender silêncios,

um prego que farfalha, um parafuso de veludo etc etc.

Tenho uma confissão: noventa por cento do que

escrevo é invenção; só dez por cento que é mentira.

Quero morrer no barranco de um rio: - sem moscas

na boca descampada!"

Manoel de Barros


Friends, we love you!!

Andressa Mossri
Bashar Haddadin
Carla Martins
Carter Smyth
Chris Pierce
Cíntia Barreto
Deborah Crooks
Dharam Rai
Girish Mirchandani
Ghislain Afouba
Gláucia Somderby
Heidi
Jay
John
John Paul Ungaretti
Karen
Lokesh Rai
Lucas
Manuela
Maurício Lima
Max Somderby
Paulo Presoto
Patrick Gomlevsky
Pavita Fleisher
Priscila Soares
Ricardo Corso Campos
Roberto Corso
Rodrigo
Sadbera Selimbasic
Sam (Francês)
Samuel
Sassy & Smokey (the cats)
Taís Perpetuo

De - The Ramp
Cíntia e Pri - super sexy arrasando no Academy!!
John, Roberto, Cin & Pri - Pier 23
(alguém tem um formato maior dessa foto, please??)
Lucas - Café na Valência
Jay - Metreum
Deborah - The Ricksaw Stop
Marcus Maurício
- Wazyema
Samuel - Madrone
Paulo P. em algum lugar da Haight Street
Patrick - Bay to Breakers
Ricardo - Bay to Breakers
Carter & Pavi - No Palito Mexican Food
Carlota Furacão - Golden Gate Park
Rodrigo & Manu - Golden Gate ParkLokesh & Sam - Redwood, friends barbecue
Sadbera & Dharam
Girish
Sassy & Smokey at home



Thank you all for sharing the time of our lives with us!!
We are looking forward to coming back soon,
Kaká & Marza

Meus pensamentos estão uma zona!!

Lucas sem se preocupar com o tempo em Albany!!

O tempo não pára!!! E a mente também não...Porque não consigo simplesmente sossegar na minha casinha?? Talvez seja o reflexo do mundo pós-moderno que altera nossa noção de tempo e espaço...Acabei de voltar de viagem, já ingressei em uma pós-graduação, voltei a trabalhar, a frequentar o Moçambique, a planejar a próxima viagem (inclusive a volta a San Fran), às aulas de Yoga, e ainda voltei a concluir que o tempo não dá tempo de fazer tudo...
Isso foi um dos temas da minha primeira aula de pós, que além de informação me rendeu um comentário no blog (na postagem "Life is a song..."). Uma super coincidência!!! Ou não...
Mas voltando ao tempo, ter quase 30 não é fácil, tenho que pensar se vai caber tudo nesse tempo ansioso...(respiração profunda)...que não dá tempo...ufa, vinde a mim o presente, apenas o presente, pois o passado e o futuro não vai dar tempo de pensar...até eu ter tempo e voltar a pensar sobre o tempo que realmente não existe...